Dente do siso nascendo torto: como aliviar a dor?

Muitas dúvidas surgem quando se tem um dente do siso nascendo torto. Será que ele pode atrapalhar o alinhamento do sorriso? Há necessidade de fazer cirurgia? Existem riscos ou contraindicações? O que fazem em caso de inflamação?

Pensando em esclarecer os questionamentos mais comuns que cercam o assunto, veremos neste texto as principais complicações ocasionadas pelo dente do juízo, por que isso ocorre, o momento indicado para extração e o que fazer após a operação. Acompanhe!

Quais complicações podem surgir com o siso nascendo torto?

Os dentes do siso, também chamados de terceiros molares, costumam surgir entre os 17 e 21 anos de idade. Algumas pessoas mais sortudas não enfrentam grandes problemas com eles, pois aparecem e crescem sem causar qualquer sintoma ou desalinhamento na arcada dentária. Outras, todavia, passam por inconvenientes enormes. Veja quais são as principais complicações:

Periconarite

É uma forte inflamação dos tecidos moles circundantes. Por tal motivo, causa dores, inchaço, limitação para abrir a boca, dificuldade para mastigar alimentos e mau hálito, pelo impedimento de escovar os dentes da forma devida. Não é raro que o paciente apresente indisposição, dores de cabeça e até infecção no ouvido.

Se houver alguma inflamação aguda associada à infecção local, recomenda-se fazer um tratamento com antibiótico antes da remoção do dente. Depois que o processo inflamatório estiver controlado, pode-se então realizar a extração.

Dente incluso

Essa situação decorre da não erupção do dente, ou seja, por não existir espaço suficiente para crescer e romper a gengiva. Desta forma, ele fica preso no tecido da gengiva e começa a entortar lá dentro. Como há dificuldade para higienizar um dente nessa circunstância, é comum o aparecimento de cáries. Além disso, o siso incluso pode reabsorver as raízes do dente vizinho, provocando assim o desalinhamento da arcada dentária.


Quando extrair esses dentes?

Nem sempre é obrigatória a remoção dos sisos, mas somente um diagnóstico profissional com radiografias é capaz de indicar o procedimento que deve ser realizado em cada caso.

Muitas vezes, quando o dente do siso começa a nascer, ele rompe a gengiva, deixando-a suscetível à inflamações, devido à entrada e ao acúmulo de alimentos no local. Essa situação causa dor e, por causa dessa sensibilidade, há dificuldade de acessar o local inflamado, na hora da escovação. A consequência é o desenvolvimento de cárie, que por sua vez pode atingir a polpa do dente, aumentando ainda mais a inflamação e a dor.

Pode ocorrer também de o dente do siso iniciar seu processo de crescimento corretamente, com alinhamento perfeito, mas durante esse caminho se deparar com uma pequena quantidade de gengiva, que dificulta sua exposição completa. O dentista pode remover o excesso do tecido, no entanto, o mais comum é que ainda assim falte espaço para o bom desenvolvimento. Por essa razão, recomenda-se a extração do dente.

A remoção é simples e pode ser feita em consultório com anestesia local. Geralmente são removidos dois sisos de uma só vez (superior e inferior) de cada lado, em cada procedimento. Mas, dependendo do caso, os 4 podem ser tirados de uma vez.

Então, para resumir as situações mencionadas, temos:

  • quando estão inflamados e causam muita dor;
  • quando estão nascendo de forma a entortar os demais;
  • quando há dificuldade na correta higienização;
  • quando nascem, mas ficam por dentro da gengiva;
  • quando não há espaço suficiente para que eles continuem crescendo.

Por que tomar remédio nem sempre funciona?

Sabe a famosa frase: “é preciso extrair o problema pela raiz”? Ela cabe no nosso contexto. Para aliviar as dores podemos fazer uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, se necessário. O ibuprofeno e o paracetamol são geralmente os indicados para isso, mas se a dor for muito forte, como geralmente é, eles não serão suficientes, pois não removerão a causa do problema.

Além disso, quando administrados de forma incorreta, medicamentos podem fazer o organismo ficar mais resistente à sua eficácia, o que trará problemas quando precisarem ser usados para combater outras enfermidades. Em certos casos, são capazes de provocar distúrbios, como gastrite e hemorragias.

É importante não se automedicar e pedir o aconselhamento de um dentista confiável, para avaliar o que é melhor para cada situação. Há, também, outros métodos para aliviar a dor.

Como será o pós-operatório?

Nos primeiros dias após a extração do siso, o paciente deverá evitar alimentos quentes e duros. A alimentação deve ser composta basicamente de alimentos líquidos, moles e gelados. É aconselhável evitar esforço físico, como malhação, durante o período de recuperação.

O dentista receitará os remédios necessários e todas as instruções a serem seguidas após o procedimento. Esses cuidados são essenciais para que a cicatrização aconteça da melhor forma e se evitem possíveis problemas como alveolite (quando um coágulo de sangue não é formado ou sai da cavidade óssea onde o dente foi extraído, deixando o osso exposto ao ar, fluídos e restos de alimentos). Os pontos são retirados após 7 ou 10 dias, no próprio consultório do dentista, que avaliará o resultado final do procedimento.

Assim, caso você tenha um siso nascendo torto, não deixe de consultar um profissional de sua confiança e tirar todas as dúvidas em relação ao seu quadro.

Siga-nos nas redes sociais, Facebook da clínica, Facebook do Dr. Henrique Taniguchi, Instagram, YouTube, LinkedIn, e acompanhe mais de perto nossas postagens para sua saúde bucal!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL