O que você precisa saber sobre o pós-operatório para siso?

Vários pacientes encaram a extração do siso como sinônimo de solução de todos os problemas — especialmente aqueles que estão sofrendo com os incômodos gerados por esse dente, como dor na gengiva, inchaço e inflamação. Existe uma parcela da população, entretanto, que tem muito medo de passar por essa cirurgia e enfrentar um período de restrições e cuidados indispensáveis: o pós-operatório para siso.

Os dentes do siso, também conhecidos como dentes do juízo, são os terceiros molares e os últimos a nascer na cavidade bucal, 2 de cada lado da arcada dentária superior e inferior. Isso costuma ocorrer na transição entre a adolescência e a vida adulta, dos 17 aos 25 anos e, por esse motivo, surgiu o seu apelido, que faz referência ao período em que uma pessoa desenvolve juízo.

Se você vai passar pela extração, este é o artigo certo para você! Nele, separamos as informações mais importantes sobre o pós-operatório para siso. Então, que tal continuar a leitura e descobrir todos os cuidados necessários para se recuperar de forma rápida e plena? Vamos lá!

Por que a extração é necessária?

Muitas vezes, a fase de nascimento do terceiro molar pode não ser tão simples, especialmente quando algumas anomalias estão presentes. Entre as principais delas são dentes do siso na posição horizontal (deitados), na diagonal ou até invertido, ou seja, posicionados de ponta cabeça. Essas situações podem provocar impactos negativos nos outros dentes e até danos mais graves à saúde.

Nesses casos, assim como quando o paciente tem um dente inflamado, a única solução é a extração. Se você está no grupo dos medrosos, temos uma boa notícia: a cirurgia de extração dos sisos geralmente é tranquila e costuma ser rápida, sendo realizada em consultórios odontológicos sem a necessidade de internação.

Além disso, o procedimento geralmente é indolor, pois a anestesia bloqueia toda a sensibilidade na região bucal. O máximo que você sentirá serão as picadas da agulha para injetá-la no local, o que acontece logo no início da cirurgia. Portanto, não há o que temer!

Mas, para que se recupere de forma rápida e sem complicações, você deve tomar alguns cuidados essenciais durante o pós-operatório e seguir todas as orientações do seu dentista, o que é de praxe após passar por qualquer cirurgia. Somente assim é possível evitar riscos e ainda diminuir os desconfortos provocados pela extração.

O que esperar logo após a cirurgia?

Nos primeiros momentos de pós-operatório, logo quando você sair do consultório odontológico, você ainda estará sob o efeito da anestesia e não sentirá dor alguma. No entanto, é recomendado tomar o analgésico prescrito pelo seu dentista assim que chegar em casa, para evitar que dores fortes aconteçam quando o efeito anestésico passar. Na maioria das vezes, o analgésico prescrito é  potente e que acaba com a dor de maneira eficaz.  

Outro detalhe importante é a recomendação de que você tenha um acompanhante para levá-lo para casa, visto que os efeitos da anestesia e da própria cirurgia podem provocar reações no seu organismo, como fraquezas ou até desmaios.

Para diminuir o sangramento na região operada, você deverá colocar gaze estéril no local e pressionar levemente com a mordida. Para diminuir o inchaço e a dor, compressas com bolsas de água fria ou até um pano com alguns cubos de gelo podem ajudar a reduzir esses sintomas. A orientação é que as compressas sejam aplicadas em intervalos de meia em meia hora durante esse primeiro dia.

No entanto, você deve observar quais são as suas necessidades e pode ampliar os intervalos entre as compressas. Aliás, no segundo dia de pós-operatório para siso, você já poderá utilizar uma bolsa de água morna ou toalha úmida para tornar a compressa mais agradável.

Quais são as etapas da recuperação?

A recuperação dura aproximadamente 7 dias e é uma etapa que exige o cumprimento rigoroso de todas as recomendações passadas pelo dentista. Entre elas estão cuidados com a higiene bucal, repouso e alimentação.

O procedimento estimula a reação inflamatória no local em que o dente foi retirado e resulta em uma ferida exposta ao ambiente externo, a qual está sujeita às infecções. Por esse motivo, durante essa fase é fundamental que o paciente siga todos os cuidados recomendados pelo seu dentista, pois isso diminui os desconfortos que a extração pode provocar e previne possíveis complicações.

Os 3 primeiros dias de pós-operatório são os que exigem maior atenção do paciente. É nesse período em que ocorre a estabilização do coágulo sanguíneo formado no local de onde o siso foi retirado. Por esse motivo, ser cuidadoso para que nada faça com que esse coágulo se solte é indispensável para uma recuperação mais rápida e sem complicações.

Os outros 4 dias para completar uma semana de pós-operatório costumam ser mais tranquilos, pois o processo de cicatrização já está avançado e os sintomas mais leves. Passados esses 7 dias, é fundamental que o paciente retorne ao consultório odontológico para que o profissional avalie como foi a sua recuperação e para que os pontos sejam retirados.

Permanecer com os pontos na boca pode contribuir para o acúmulo de alimentos e, consequentemente, de bactérias que se alimentam desses resíduos. Portanto, essa é uma etapa que deve ser cumprida com rigor para evitar infecções que podem dificultar a cicatrização da região operada e prejudicar inclusive os dentes vizinhos, a cavidade oral e a saúde de forma geral. Se uma infecção bucal cair na corrente sanguínea, por exemplo, pode atingir órgãos vitais como o coração e o cérebro.

Todavia, se os pontos utilizados forem do tipo reabsorvível, podem permanecer na sua boca até desaparecerem sozinhos. Contudo, a visita ao dentista continua sendo necessária para que o profissional avalie se a cicatrização aconteceu corretamente e sem nenhum agravante.


Como é o pós-operatório para siso?

Após passar por um procedimento cirúrgico, o corpo precisa de algum tempo para regenerar os tecidos lesionados e se recuperar por completo. Nessas condições, o organismo fica muito abalado — especialmente o sistema imunológico. Além disso, o processo de cicatrização demanda um gasto energético elevado do paciente.

Com a cirurgia de extração de siso essas condições não são diferentes, mas costumam durar um tempo menor que em cirurgias de grande porte ou mais complexas. Mesmo assim, é importante que todos os cuidados durante o pós-operatório sejam respeitados e que as orientações passadas pelo profissional sejam seguidas fielmente.

Apesar de o desconforto ser algo esperado, o normal é que a intensidade dos sintomas seja mais leve. Caso contrário, é um sinal de complicação. Entre os problemas estão inchaço e dores em excesso, infecções e hemorragias.

Continue a leitura e descubra, nos próximos tópicos, como evitar essas situações.

Quais cuidados eu preciso ter?

Durante o pós-operatório do siso, é fundamental seguir uma lista de cuidados para que a sua recuperação aconteça de maneira adequada e sem condições agravantes. Confira, a seguir, quais são as principais medidas que você deve cumprir.

Higienize a sua boca

A higienização é um dos fatores mais importantes durante o pós-operatório para siso. Não é só porque você está com uma ferida e pontos na boca que poderá deixar de fazer a limpeza adequada — pelo contrário! Durante esse período é crucial que você mantenha a sua boca bem limpa para evitar focos inflamatórios mais intensos e infecções.

Alguns cuidados nos procedimentos de limpeza dental, no entanto, devem ser tomados. A escovação deve ser realizada de forma suave e a região da cirurgia não deve ser atingida pelo impacto das cerdas para evitar dores fortes ou até o rompimento dos pontos. Se possível, adquira uma escova com cerdas ultra macias para facilitar a escovação. Além disso, não se esqueça nunca do fio dental.

Evite utilizar enxaguantes bucais com álcool durante o pós-operatório, porque isso pode provocar muita ardência na região da ferida. Utilize sempre a opção de antisséptico recomendada pelo seu dentista. A aplicação desses produtos é crucial para evitar o acúmulo de bactérias na região onde o siso foi extraído e o desenvolvimento de uma infecção.

No entanto, tome cuidado na hora de cuspi-los: movimentos bruscos podem fazer com que o coágulo que está bloqueando o sangramento e que induzirá a cicatrização se solte e prolongue o período de recuperação.

Permaneça em repouso

Após passar por uma cirurgia de extração do siso, é fundamental que você permaneça em repouso por pelo menos 3 dias, com destaque especial para o primeiro. Portanto, ao chegar em casa, fique deitado, preferencialmente com dois travesseiros, pois manter a cabeça elevada evita sangramentos. Durante esse período, não faça esforços nem pratique exercícios físicos, porque isso pode trazer problemas para a cicatrização e provocar complicações.

Os banhos quentes e exposições prolongadas ao sol também podem ser prejudiciais e causar hemorragias, portanto, evite-os por pelos menos 5 dias. Além disso, falar em excesso nos primeiros dias não é recomendado, porque a movimentação demasiada da boca pode prejudicar a sua recuperação.

Não toque a região da cirurgia

Apesar de não enxergarmos, nossas mãos estão repletas de microrganismos, o que inclui bactérias, vírus e fungos patogênicos, que podem fazer um verdadeiro estrago se infectarem a ferida da cirurgia.

Por esse motivo, não é recomendado tocar o local, pois assim você insere os micróbios na região da ferida e aumenta os riscos de infecção. Além disso, mexer no local de forma ríspida e contínua, inclusive com a língua, pode romper os pontos e prejudicar a cicatrização.  

Tome os medicamentos recomendados

Antes da cirurgia, seu dentista prescreverá alguns medicamentos fundamentais, como analgésicos para amenizar a dor, anti-inflamatórios para reduzir a inflamação e o inchaço, e antibióticos, importantes para prevenir e combater infecções.

Logo no pré-operatório, você começará a fazer o uso de antibiótico, o qual deve ser tomado exatamente na quantidade de dias estabelecidos pelo profissional, assim como nos horários e doses corretas. Esses cuidados com o antibiótico são necessários para um tratamento efetivo e para que infecções resistentes não se instalem no seu organismo.

Além disso, as orientações também são estendidas às outras classes de medicamentos, em que é indispensável o uso nas quantidades correspondentes às que estão na receita. Isso previne intoxicações em caso de doses elevadas ou até mesmo a falta de efeito quando a quantidade utilizada de medicamento for muito baixa.

Se você estiver utilizando o medicamento corretamente e mesmo assim não tiver o efeito esperado, procure o seu dentista para que ele faça um ajuste de doses ou prescreva outro medicamento mais potente. Nunca substitua, dobre a dose ou utilize outros medicamentos sem a orientação de um profissional.

Evite fumar e beber

O cigarro tem substâncias tóxicas extremamente prejudiciais para o processo de cicatrização na região oral. A nicotina é a principal responsável por afetar esse período e dificultar a cicatrização e, após penetrar na mucosa, aumenta os riscos de inflamação e infecção.

Visto que o cigarro já deve ser evitado devido a outros danos que provoca à saúde, sendo um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão, esse é um momento ideal para você repensar os seus hábitos e cortar o fumo da sua vida. Se não for possível, evite o cigarro no mínimo durante os 7 primeiros dias de recuperação.

Sobre o álcool, essa é outra substância que prejudica o organismo de maneira geral. Portanto, após a extração, o consumo desses tipos de bebidas deve ser evitado, especialmente devido ao fato de que você estará utilizando antibióticos e o álcool inibe a ação desses medicamentos, deixando-o exposto às infecções. Então, nada de misturar, ok?

O que eu posso comer?

Outra recomendação importante durante o período de pós-operatório para siso diz respeito à dieta que o paciente deve seguir. Nessa fase, é recomendado evitar alimentos quentes e sólidos difíceis de mastigar, porque podem provocar sangramentos, dificultar a cicatrização e até causar o rompimento dos pontos e a exposição da ferida.

Portanto, sua dieta deverá ser baseada em alimentos gelados ou frios de consistência líquida a pastosa. Entre os exemplos estão:

  • sorvetes;
  • gelatinas;
  • iogurtes;
  • pudins;
  • sucos e vitaminas;
  • purê de batatas frio;
  • sopas e caldos frios.

É muito importante que você não foque a sua dieta apenas nos alimentos doces, pois além da necessidade de higienizar a sua boca após o consumo, devido ao excesso de açúcar proporcionar o desenvolvendo de cáries, essas comidas não são muito nutritivas.

Por esse motivo, não deixe de incluir sucos e vitaminas de diversas frutas, sopas e caldos com vegetais e purês de batata inglesa, doce, salsa ou de legumes da sua preferência — essas comidas fornecem os nutrientes necessários para o seu organismo ficar mais forte e se recuperar rapidamente.  

A exigência de consumir somente alimentos gelados é para os primeiros dias de pós-operatório. Passadas 72 horas da cirurgia, você já pode inserir alimentos mornos e sólidos na sua dieta, mas tenha sempre o cuidado de mastigar com o lado da boca contrária aos pontos.

Além disso, não se esqueça da hidratação. Beber pelo menos 2 litros de água por dia restabelece o equilíbrio do seu organismo, fundamental nessa fase de recuperação. No entanto, um cuidado: não utilize canudos nem faça movimentos de sucção, pois a força exercida pode fazer o coágulo se soltar.

Pode ocorrer alguma complicação?

Existem basicamente 2 grupos de pacientes que já passaram pela retirada do siso. O primeiro é daqueles que realizam o procedimento sem problemas ou complicação alguma. Já o segundo inclui as pessoas que passam por um período difícil e desagradável durante o pós-operatório.

Ao longo do post, viemos destacando que algumas complicações podem ocorrer durante o pós-operatório, o que exige certos cuidados para preveni-las e controlá-las. Na grande maioria dos casos, após a cirurgia do siso, os pacientes sofrem com um pouco de dor, pequenos sangramentos, inflamação e inchaço no local, sintomas que fazem parte da reação fisiológica normal do organismo.

No entanto, a intensidade desses sintomas pode variar, o que está muito relacionado aos aspectos biológicos de cada paciente e à técnica de cirurgia realizada. Assim, a posição em que o terceiro molar se encontra é o primeiro fator responsável pelas complicações. Se estiver dentro do osso, por exemplo, pode ser necessária a realização de uma etapa chamada de desgaste ósseo, a qual torna o procedimento cirúrgico mais invasivo e os sintomas mais intensos.

Se a raiz do siso se formar de maneira curvada, isso aumenta inclusive os riscos de uma fratura no momento de retirar o dente. Além disso, pessoas que apresentam tendências inflamatórias também estão mais propícias a desenvolver complicações e sofrer com dores fortes e inchaço excessivo.

Como prevenir as complicações?

Para evitar que complicações aconteçam no período de pós-operatório para siso, os cuidados devem ser iniciados antes mesmo que o procedimento seja realizado. Assim, os exames que antecedem a cirurgia são indispensáveis, especialmente a radiografia panorâmica, que fornece ao dentista uma visão completa sobre a posição dos sisos de cada paciente e possibilita o planejamento para realizar o procedimento com maior precisão e segurança.

Em alguns casos, como os dentes do siso que estão retidos na estrutura óssea ou posicionados de maneira inadequada, o profissional já estará preparado para uma cirurgia mais delicada. O dentista pode inclusive alertar o paciente que o seu pós-operatório será um pouco mais complicado e exigirá cuidados redobrados quanto à aplicação de compressas geladas, repouso e alimentação.

Além disso, o pós-operatório é uma fase crucial para a recuperação do paciente e para que as complicações sejam evitadas. Por esse motivo, utilize as medicações conforme a prescrição e siga todas as recomendações do profissional — essas medidas profiláticas são indispensáveis para que você fique bem e possa retornar às suas atividades diárias o mais rápido possível.

O que eu faço em caso de complicações?

Se você notar qualquer situação anormal na região da cirurgia, como inflamação intensa, dores agudas, aumento de inchaço após o terceiro dia, focos de infecção e hemorragias, além de sintomas sistêmicos, como febre alta e dificuldades de respirar, procure o seu cirurgião-dentista ou uma emergência imediatamente.

Nessas situações, um profissional precisa avaliar seu caso rigorosamente para indicar a melhor forma para solucionar o problema. Na maioria das vezes, as complicações são tratadas com medicamentos específicos para cada caso, como anti-inflamatórios mais potentes para a inflamação, analgésicos para a dor, antibióticos para a infecção e medicamentos que estancam hemorragias.

Se não forem tratadas corretamente, essas condições podem desencadear situações muito mais graves na boca e em outras partes do organismo, a exemplo dos casos em que a infecção cai na corrente sanguínea e atinge órgãos vitais e provocam infecções muito sérias.

Dessa forma, fica mais fácil entender por que os cuidados durante o pós-operatório para siso são tão importantes, certo? Assim, se você seguir todas as recomendações, a sua recuperação tem tudo para ser bem rápida e sem agravantes.

Ademais, mesmo se a sua recuperação for bem-sucedida e sem nenhuma complicação, nunca se esqueça de que o retorno ao consultório odontológico é indispensável para que a sua condição seja avaliada pelo profissional. Assim, você terá a certeza de que está bem e poderá receber inclusive a indicação para realizar outros procedimentos para manter a sua saúde bucal em dia, como uma limpeza dental ou restauração.

O siso é o último dente a nascer, o que acontece na transição da adolescência para a idade adulta. Algumas vezes, a sua extração é necessária, o que ocorre quando o terceiro molar está em posições inadequadas ou até mesmo provocando danos aos dentes vizinhos. No entanto, se você estiver nessa situação, isso não é um motivo para você ficar desesperado, principalmente se as suas principais inseguranças são sobre o pós-operatório.

Extrair os dentes do siso é um procedimento cirúrgico muito simples e seguro. Além disso, na grande maioria das vezes, a recuperação é rápida e não evolui para complicações, principalmente se todos os cuidados necessários forem seguidos à risca pelo paciente.

Por esse motivo, ao passar por uma extração, atente-se ao que é permitido e ao que ficará restrito durante o período de pós-operatório para siso: isso é o que vai garantir que a sua recuperação seja tranquila e de sucesso.

Quer descobrir se o seu siso já vai irromper? Então confira 7 sinais clássicos de que ele está nascendo!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL