Muitas pessoas têm uma dúvida em comum: a gengivite causa mau hálito? Esse problema desagradável, que várias vezes afeta os pacientes sem que ao menos eles percebam, pode prejudicar a vida social de maneira significativa. A gengivite é um problema bucal simples de ser tratado e evitado. No entanto, possui sintomas discretos e, em alguns casos, é difícil de detectar.

Ficou curioso sobre o assunto? Separamos, neste post, as principais informações sobre essa doença que atinge as gengivas. Vamos conferir?

O que é gengivite?

A gengivite é uma inflamação nas gengivas que se situam ao redor dos dentes, sendo considerada como a 1ª fase da doença desses tecidos.

Se não tratada corretamente, a gengivite pode evoluir para condições mais sérias, como a periodontite, doença que está no topo do ranking das causas de perda dentária na população adulta.

Quais são as suas causas mais comuns?

A principal causa de gengivite é a placa bacteriana, a qual se forma na borda entre os dentes e a gengiva quando a limpeza da boca não é feita de maneira adequada.

Além disso, existem outros fatores que podem levar um paciente a desenvolver gengivite. Entre eles estão:

  • a exposição a metais pesados, como chumbo e bismuto;
  • a pouca produção de saliva;
  • a predisposição genética;
  • o desenvolvimento de cáries;
  • o posicionamento incorreto dos dentes ou da mordida; e
  • o tabagismo.

Quais são os sinais da gengivite?

Pacientes com gengivite apresentam as gengivas com uma coloração bem avermelhada, inchada e sem brilho natural. Além disso, os dentes podem ficar com uma aparência mais longa devido à retração gengival.

Outro sintoma comum é o mau hálito, desenvolvido pela produção de ácidos e gases pelas bactérias que compõe a placa bacteriana. Portanto — respondendo a dúvida —, gengivite causa mau hálito, sim, e esse pode ser um dos sintomas mais incômodos da doença.

Além disso, fique atento caso você note algum foco de sangramento nas gengivas — que pode acontecer durante as escovações, o uso do fio dental ou a própria mastigação dos alimentos —. Esse é um sinal de alerta e indica que algo não está certo, o que exige uma visita ao especialista.

No entanto, os sinais nem sempre são claros. Em alguns casos, não ocorre dor, e os sintomas são tão discretos que o paciente sequer percebe o problema. Por esse motivo, é importante procurar um dentista periodicamente para fazer uma avaliação da sua saúde bucal.

Que cuidados tomar para evitar esse problema?

Para não desenvolver a gengivite, basta seguir todas as recomendações de higienização oral diariamente.

Escove os seus dentes após todas as refeições e utilize o fio dental pelo menos 1 vez ao dia. Além disso, escolha um bom enxaguante bucal antisséptico para eliminar as bactérias que podem provocar placa bacteriana.

A gengivite causa mau hálito, e prevenir essa doença é a melhor maneira de evitar um problema malcheiroso e nada agradável. Então, não deixe de limpar a sua boca corretamente e procurar um dentista para avaliações periódicas. Assim, a sua saúde bucal estará sempre em dia.

Gostou deste post? Então o compartilhe nas redes sociais para que todos os seus amigos entendam o que é a gengivite e como lidar com as suas consequências!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747

Sentir dor na gengiva é um indício de que algo não vai bem dentro da sua boca. Esse tecido, fundamental para o corpo humano, realiza a proteção da dentina, região mais superior do dente, e também da mandíbula. Sendo tão importante, isso exige uma atenção especial quando desconfortos acontecem nessa região.

No entanto, muitas pessoas não dão o devido valor para sintomas que acometem a gengiva, julgando que isso será algo passageiro, provocado apenas por uma escovação com força excessiva ou fio dental passado de maneira inadequada e que não precisa de maiores cuidados.

É importante saber que existem diversas causas e problemas sérios associados com a dor na gengiva, os quais podem influenciar muito na sua rotina, bem-estar e qualidade de vida em geral. Portanto, conhecer o que está provocando o desconforto e fazer o tratamento mais adequado para cada situação é indispensável para a completa recuperação de cada paciente.

Neste artigo separamos os principais motivos de uma dor na gengiva. Vamos conferir quais são eles?

Gengivite

A causa mais comum de dor e também inchaço na gengiva são as inflamações no tecido, conhecidas como gengivite. Essas reações ocorrem devido uma higienização inadequada com consequente acúmulo de resíduos de alimentos entre a gengiva e o dente.

O resultado é a formação de placa bacteriana e tártaro, que desencadeiam a inflamação e sintomas característicos, que nesse caso incluem também o sangramento gengival, observado principalmente durante a escovação.

O que mais gera preocupação quanto à gengivite é que ela pode evoluir para problemas maiores quando negligenciada, como a periodontite. Essa doença bucal provoca retração da gengiva e perda de massa óssea, tecido de sustentação que, em falta, pode levar ao amolecimento e até a queda do dente.

Com um número em desfalque na arcada dentária, a mastigação é prejudicada. Assim, o paciente não vai conseguir triturar os alimentos corretamente, o que é refletido no desenvolvimento de problemas estomacais e mau hálito.

Para evitar a gengivite, você deve escovar muito bem os seus dentes e passar o fio dental todos os dias. Além disso, ter uma boa alimentação, evitando comidas muito açucaradas e eliminar o hábito de fumar ajudam a diminuir os riscos de desenvolver essa inflamação.

Ademais, nunca deixe de se consultar com o seu dentista para que ele avalie o seu caso de forma mais criteriosa e determine exatamente o que está provocando os sintomas desagradáveis na sua boca, tratando-os da maneira mais adequada.

Infecções

O acúmulo de sujeira nos dentes causada por uma limpeza insuficiente estimula o desenvolvimento de bactérias, as quais terão todo o alimento disponível para o seu crescimento. Esses microrganismos produzem enzimas que vão deteriorando os dentes aos poucos, provocando inflamação, dor na gengiva e as famosas cáries.

Além disso, as bactérias podem entrar na bolsa periodontal e cair na corrente sanguínea, atingindo órgãos vitais, como o coração. Essa doença é chamada de Endocardite bacteriana e afeta toda a circulação sanguínea e funcionamento do coração. Nesses casos, a visita ao médico é indispensável.

Portanto, menosprezar a dor na gengiva e não tomar todos os cuidados necessários com profilaxia bucal, que incluem principalmente a higiene diária e consultas periódicas ao dentista, não é uma boa maneira de cuidar da sua saúde. Além disso, o profissional odontólogo é indispensável para prescrever o tratamento mais adequado para cada paciente, que nesse caso inclui o uso de antibióticos.

Traumas

O trauma na gengiva é mais um fator que gera dor e inchaço na região. Entre as lesões mais comuns estão aquelas desencadeadas pelo uso de aparelho ortodôntico e dentaduras.

Todavia, você não pode achar isso comum e se acostumar com a situação! Procure imediatamente o seu dentista, caso esses ou outros dispositivos utilizados na cavidade bucal estiverem incomodando ou lesionando a sua gengiva.

Outro ferimento que atinge a gengiva e pode causar muita dor é a afta. Com aparência esbranquiçada e bordas vermelhas, as aftas acontecem principalmente devido à falta de vitaminas, baixa imunidade ou estresse do paciente, além da ingestão de alimentos picantes ou muito ácidos.

Qualquer machucado na boca afeta o seu bem-estar em proporções relevantes, isso porque eles vão desencadear muita dor e desconforto em momentos cruciais da sua vida, como quando você precisa fazer uma refeição, se comunicar ou até dormir. Portanto, busque ajuda quanto antes para evitar complicações.

Nascimento do dente do siso

Se você está sentindo dor na gengiva, especialmente na região mais profunda da boca, isso pode ser sinal de que seu siso está nascendo. O nascimento do dente do siso costuma ocorrer na transição da adolescência para a idade adulta, dos 16 aos 21 anos.

Quando o dente está posicionado de maneira adequada, ou seja, não está deitado, na diagonal ou invertido, ele tem todos os fatores a favor para nascer corretamente. Apesar disso, alguns focos de dor e inchaço na gengiva podem acontecer como uma reação fisiológica.

Entretanto, se as dores são constantes e intensas, isso pode indicar que o seu siso não está conseguindo irromper. O incômodo também é forte se o seu dente nasceu parcialmente, provocando uma doença bucal chamada de pericoronarite, que diz respeito à inflamação da gengiva ao redor da coroa do dente, devido ao acúmulo de restos de alimentos nessa região.

Para prevenir que esses problemas atinjam a sua boca, o ideal é retirar os dentes do siso o mais cedo possível, pois quando os dentes ainda não estão calcificados nos ossos e os tecidos ao redor dele são mais moles, a cicatrização torna-se mais fácil.

Ademais, extrair os sisos antes do nascimento é uma forma de evitar complicações que vão muito além do inchaço e dor na gengiva, incluindo dentes tortos, alteração na mordida e até a reabsorção de dentes vizinhos.

Todas essas consequências podem atingir negativamente os mais diversos segmentos da sua saúde e rotina, porque:

  • provocam doenças e sintomas como anemia, fraqueza e distúrbios digestivos, devido à ausência de alimentação ou mastigação de forma incorreta;
  • afetam os seus relacionamentos profissionais e pessoais, pois os incômodos sentidos refletem diretamente no seu humor e na maneira em que vai tratar as pessoas;
  • influenciam a sua autoestima, visto que o desalinhamento dos dentes afeta a estética do seu sorriso e beleza facial.

Em casos de gengiva dolorida por causa do dente do siso, a melhor forma de tratamento é a extração. Então, não deixe de procurar o seu dentista para que ele faça uma avaliação e peça exames para determinar a melhor forma de retirada.

E não se preocupe: a cirurgia de extração é um procedimento simples e que raramente provoca complicações. Ou seja, os prós são muito maiores que os contras.

Uma dor na gengiva, portanto, nunca deve ser vista como algo normal. Além disso, buscar a avaliação de um profissional é indispensável para saber o que está provocando esse sintoma e qual é a melhor forma de tratá-lo. Então, não adie a sua consulta ao dentista para ter a garantia que a sua saúde bucal e geral estarão em dia.

Gostou do nosso artigo e quer saber mais sobre saúde bucal? Então assina a nossa newsletter e receba em seu e-mail os melhores conteúdos sobre o tema!