Um sorriso harmônico pede investimento, tanto de tempo quanto de dinheiro. Embora algumas pessoas já tenham o privilégio de nascer com dentes bonitos e bem alinhados, outras precisam recorrer a tratamentos que proporcionem esse benefício.

Graças aos avanços da odontologia estética, fazer alterações no sorriso nunca foi tão acessível. Além disso, os tratamentos estão cada vez menos invasivos e oferecem resultados melhores e mais duradouros.

Mas é sempre bom lembrar que, embora existam tratamentos que devolvem a beleza do sorriso, a melhor forma de manter seus dentes harmônicos ainda é manter os cuidados com a higiene bucal e ficar longe de maus hábitos. Os procedimentos odontológicos devem ser apenas um complemento para manter seus dentes bonitos e saudáveis.

Neste post, vamos falar sobre quais características são necessárias para que alguém tenha um sorriso harmônico e como alcançar o objetivo de ter dentes bonitos, saudáveis e funcionais. Vamos lá?

O que é um sorriso harmônico

A maior parte das pessoas pensa que um sorriso harmônico é aquele composto por dentes superbrancos e bem alinhados. Mas não é bem isso que um estudo realizado em um Instituto de Odontologia americano afirmou.

A pesquisa apontou que, para um sorriso ser considerado harmônico, ele precisa ter algumas proporções e medidas. Isso nem sempre significa que os dentes devem ser necessariamente brancos, como muitos pensam. Na verdade, a coloração dos dentes deve acompanhar a cor da pele e a idade da pessoa. A cor das gengivas também conta muitos pontos: sua coloração deve ser próxima do rosa pálido.

Falando de forma simples: um sorriso harmônico é aquele que apresenta coerência em relação ao restante da face e ainda mantém a funcionalidade dos dentes.

Sorriso funcional

Como citamos logo acima, ter um sorriso harmônico vai muito além da estética, pois os dentes e a boca fazem parte do sistema digestivo. A função dos dentes é partir e mastigar os alimentos, para que eles cheguem menores ao estômago, facilitando nossa digestão.

Cada dente desempenha uma função diferente na nossa boca. Os incisivos são responsáveis por cortar os alimentos, enquanto os caninos servem para rasgar a comida. Já os pré-molares servem para mastigar os alimentos, enquanto a função dos molares é triturar a comida. 

Os dentes do siso — ou terceiros molares — também têm a função de triturar os alimentos. No entanto, como hoje em dia nossa alimentação não consiste mais no consumo de alimentos crus, eles se tornaram praticamente desnecessários. Além de tudo, em muitos casos, eles ainda prejudicam a saúde bucal do paciente.

É por isso que, quando uma pessoa tem dentes faltosos na boca ou quando eles não estão posicionados corretamente na arcada, o processo digestivo fica prejudicado, pois os alimentos não são triturados corretamente. 

Dessa forma, o paciente pode sofrer de má digestão, azia, sonolência e até mesmo gastrite, úlcera e refluxo. Além disso, uma mastigação deficiente impede que os nutrientes contidos nos alimentos sejam absorvidos pelo organismo, prejudicando a saúde em geral do indivíduo.

Sorriso bonito

Esse quesito depende de uma série de fatores, como um bom formato dos dentes e uma boa coloração das gengivas. Além disso, os dentes devem ser bem posicionados na arcada, caso contrário, podem causar problemas como desarmonia nos maxilares.

Esse problema é caracterizado quando uma pessoa tem o queixo para dentro ou para fora, causando uma impressão de queixo muito grande ou muito pequeno. Além de trazer prejuízos estéticos para o sorriso do paciente, esse problema ainda pode afetar sua autoestima, já que a aparência é muito importante.

Dessa forma, uma pessoa que não segue o padrão estabelecido pela sociedade pode ter problemas psicológicos que vão atrapalhar seu desenvolvimento pessoal.

Muitas vezes, o paciente até tem todos os dentes na boca e uma mastigação adequada, mas está insatisfeito com a forma e coloração de seus dentes. Nesses casos, a estética é a única preocupação da pessoa, pois ela quer melhorar sua aparência. 

Não há nada de errado em fazer procedimentos odontológicos puramente estéticos. Aliás, a odontologia tem evoluído muito nessa questão e dispõe de tratamentos cada vez menos invasivos e mais eficazes, capazes de transformar o sorriso e a aparência dos pacientes.

5 dicas para ter um sorriso funcional

A odontologia moderna conta com diversas opções de tratamento para quem deseja ter um sorriso harmônico e funcional. E o melhor de tudo é que, com tanta tecnologia, os tratamentos vêm se tornando cada vez mais acessíveis e menos indolores.

Então, ter um sorriso bonito e que cumpra todas as suas funções mastigatórias está ao alcance de grande parte das pessoas. A seguir, vamos falar de alguns tratamentos que, além de melhorar consideravelmente a estética do sorriso do paciente, ainda devolvem a funcionalidade dos dentes.

1. Aparelho ortodôntico

Quando se trata de corrigir problemas funcionais dos dentes, o aparelho dentário é o procedimento mais comum. E não é para menos, pois, além de ser o tratamento mais acessível, o aparelho ainda proporciona excelentes resultados. 

Sua função é movimentar os dentes para que eles se encaixem com perfeição na arcada dentária. Vale lembrar que dentes desalinhados prejudicam a mastigação, a fala e a respiração do paciente.

Pacientes com dentes desalinhados podem sofrer com bruxismo e, consequentemente, com dores maxilares e de cabeça. Além disso, dentes desalinhados dificultam a higiene bucal, o que contribui para o aparecimento de cáries e outras doenças.

O tempo de tratamento varia de acordo com o problema a ser tratado e com as condições de movimentação. O aparelho dentário corrige os seguintes problemas:

  • desalinhamento dentário: quando os dentes estão mal posicionados na arcada;
  • mordida cruzada: esse problema acontece quando os dentes da arcada superior não se encaixam na inferior. Quando um paciente tem a mordida cruzada, os dentes superiores se posicionam mais para fora da arcada do que os inferiores;
  • mordida aberta: o problema é caracterizado pela falta de contato entre os dentes superiores e inferiores;
  • mordida profunda: acontece quando os incisivos superiores cobrem mais de um terço dos incisivos inferiores. Em casos mais graves, os dentes inferiores podem tocar a gengiva da região do céu da boca.

​Com o uso do aparelho dentário, todos esses problemas são corrigidos e a funcionalidade dos dentes é recuperada. Muitas vezes, o tratamento ortodôntico precisa ser combinado com outros procedimentos para que os resultados sejam melhores.


2. Retirada dos dentes do siso

Há milhares de anos, a alimentação do ser humano era baseada em alimentos crus, como raízes. Por isso, era necessário um grande esforço para triturar os alimentos, e essa era a função dos dentes de siso. Porém, atualmente nossa alimentação é baseada em alimentos cozidos ou fritos, o que facilita nossa mastigação.

Por isso, os dentes do siso se tornaram desnecessários para um sorriso perfeito e funcional. O que acontece na maioria das vezes é que os sisos atrapalham a saúde bucal do paciente. Em certos casos, não há espaço suficiente na arcada dentária para que eles se encaixem, o que faz com que os outros dentes sejam empurrados, causando desalinhamento dentário.

Além disso, eles provocam muitas dores ao nascer e ainda podem gerar inflamações nas gengivas. Isso acontece quando o siso fica retido na mandíbula ou maxila ou não aponta totalmente. Nesses casos, a extração do terceiro molar é feita para melhorar a qualidade de vida do paciente e evitar que ele tenha problemas maiores.

3. Implante dentário

O implante dentário é a melhor opção para quem perdeu todos, alguns ou somente um dente na boca. O tratamento tem como objetivo restabelecer as funções mastigatórias dos dentes e ainda melhorar a estética do sorriso do paciente. Afinal de contas, ninguém gosta de exibir um sorriso com dentes faltando.

O implante consiste em um pino de titânio que é fixado na mandíbula ou maxila por meio de procedimento cirúrgico. Sua função é substituir a raiz do dente natural perdido, servindo de suporte para um dente artificial — prótese sobre implante.

O implante dentário é indicado para pessoas a partir de 18 anos que estejam com a saúde bucal em dia. Caso o paciente tenha cáries, tártaro, placa bacteriana ou problemas na gengiva, eles devem ser tratados antes da realização do implante.

Pessoas que sofrem de diabetes não controlada ou outros problemas sistêmicos não devem recorrer ao tratamento. No entanto, apenas com uma boa avaliação e a realização de exames é que o dentista poderá dizer se a pessoa é apta ou não para receber um implante dentário.

A cirurgia de implante é feita no consultório, sob anestesia local, e o tempo do procedimento depende da complexidade da cirurgia. Em casos nos quais o paciente não tem osso suficiente para suportar o implante, é necessário o enxerto ósseo, o que exige mais tempo e dedicação do dentista.

O pós-operatório geralmente é tranquilo, desde que o paciente siga as recomendações do dentista, fazendo o devido repouso e tomando a medicação sugerida.

4. Prótese parcial fixa

Apesar de o implante dentário ser bastante eficiente, seu custo não é baixo e, por isso, nem todos podem se submeter ao tratamento. Então, quando o paciente perde um ou mais dentes naturais, ele pode colocar a prótese parcial fixa — a famosa ponte, como é popularmente conhecida pelos pacientes.

O tratamento é indicado também para pacientes com muita perda óssea, o que inviabiliza o implante, ou para os que têm problemas de saúde que não permitem um implante dentário, já que esse tipo de prótese não exige cortes.

Para que o tratamento seja viável, o paciente deve ter dois dentes no espaço em que a prótese será instalada. Esses dentes serão utilizados como suporte, visto que no caso da ponte não há instalação de uma raiz artificial (implante).

Para colocar a ponte, o dentista faz um desgaste nos dentes que servirão de suporte. Então, são feitas próteses que serão encaixadas em cima desses dentes, de forma que não há como o paciente remover a ponte na hora de se alimentar ou fazer a higiene bucal. Em caso de necessidade de remoção, apenas o dentista pode realizar o processo, com o uso de instrumentos específicos.

A grande desvantagem da ponte fixa é a necessidade dos dentes para que ela seja instalada, o que faz com que dois dentes saudáveis percam sua funcionalidade de mastigação. Outro ponto negativo é que o local onde a ponte foi instalada sofrerá com perda óssea.

Isso acontece porque, como não há uma raiz dentária apoiada no osso, o organismo entende que aquele osso é desnecessário e dá início ao processo natural de reabsorção daquele tecido.

5. Cirurgia ortognática

Nem sempre os problemas que impedem uma pessoa de ter um sorriso perfeito estão ligados à posição dos dentes. Muitas vezes, falhas no crescimento ósseo dos maxilares causam uma aparência esteticamente desagradável. Nesses casos, tanto os dentes quanto o queixo e as gengivas ficam na posição incorreta.

Além de prejudicar a estética do paciente, esse problema prejudica a funcionalidade dos dentes. Pacientes com o queixo proeminente ou retraído sofrem com problemas na mastigação devido à posição incorreta dos dentes e podem até mesmo sentir dores nas articulações.

Felizmente, há um recurso para corrigir a posição do maxilar: a cirurgia ortognática. Apesar de ser um procedimento complexo, a cirurgia ortognática apresenta excelentes resultados e, como na maior parte das vezes é feita dentro da boca, não há cicatrizes externas. Por isso, os pacientes ficam muito satisfeitos depois de passar pelo procedimento.

A cirurgia consiste basicamente em cortar o maxilar superior ou inferior ou até mesmo os dois, dependendo do caso. Depois que o osso é solto, o cirurgião-dentista o coloca na posição correta com o uso de parafusos e placas de titânio — mesmo material usado em implantes dentários.

No entanto, após passar pela cirurgia, é necessário que o paciente use aparelho ortodôntico. Isso porque, se os dentes estiverem desalinhados, com alturas diferentes ou tortos, a cirurgia não será suficiente para deixá-los perfeitamente alinhados.

O pós-operatório não é doloroso; no entanto, como é uma cirurgia complexa, exige um bom tempo de recuperação do paciente. Nos primeiros dias, pode haver inchaço e desconforto, que é amenizado com o uso de medicações adequadas.

Nos primeiros 20 dias após a cirurgia, o paciente só deve ingerir alimentos líquidos e pastosos. O paciente só volta a mastigar normalmente cerca de 50 dias depois da cirurgia. Nesse período, é essencial que ele siga as recomendações do dentista e faça o devido acompanhamento para que sua recuperação seja mais tranquila.

5 dicas para ter um sorriso bonito

Como já citamos ao longo do artigo, ter um sorriso perfeito vai além de ter dentes funcionais. É necessário haver uma harmonia entre coloração e formato dos dentes, cor e forma das gengivas e traços faciais.

Então, mesmo que o paciente não tenha nenhum problema funcional, caso ele esteja insatisfeito com seu sorriso, pode recorrer a diversos tratamentos não invasivos para melhorar sua aparência. A seguir, vamos falar sobre esses procedimentos.

1. Limpeza dental

Também conhecida como profilaxia, a limpeza dental com um profissional deve ser realizada pelo menos uma vez ao ano. Esse procedimento é diferente da higiene feita em casa porque, além de ser realizado por um profissional, é feito com o uso de materiais e produtos específicos.

A limpeza dental é necessária para remover a placa bacteriana e o tártaro que fica acumulado entre os dentes e as gengivas, ocasionados por uma higiene bucal deficiente. O objetivo da limpeza é evitar que o paciente tenha outros problemas como cáries e doenças periodontais.

Durante o procedimento, é feita uma raspagem para a retirada dos cálculos dentais, polimento dos dentes e, caso seja necessário, uma escovação completa com escova elétrica e pasta específica. Por fim, para devolver os minerais dos dentes e fortalecê-los, o dentista faz a aplicação de flúor. O procedimento é rápido e não é dolorido, ao contrário do que muitas pessoas pensam.

Pacientes com tendência a um grande acúmulo de placa bacteriana e tártaro podem necessitar de profilaxia mais de uma vez por ano, mas apenas o dentista pode dizer a frequência necessária para cada caso.

2. Restauração dentária

A restauração dentária devolve tanto a estética do sorriso quanto a funcionalidade dos dentes. O tratamento é indicado para pacientes que têm dentes quebrados, trincados, cariados, rachados, sensíveis ou com infiltração nas restaurações antigas.

O objetivo da restauração é recuperar aquele dente que sofreu algum tipo de dano, devolvendo sua forma estética e evitando que ele sofra maiores danos. Existem vários materiais utilizados para a restauração dos dentes, cada um deles é indicado para casos específicos.

Os materiais mais utilizados são a resina composta e a porcelana. A resina é indicada para pacientes com problemas de infiltração em restaurações antigas, com dentes quebrados, trincados ou manchados pelo uso de medicamentos.

Já a porcelana é um material de melhor qualidade, mas tem um custo bem mais alto do que a resina. Ela tem as mesmas indicações da resina, mas quando se trata de alterações maiores, a porcelana é indicada, pois é mais resistente e se assemelha mais à cor do dente. Além disso, não sofre alteração de cor ao longo dos anos.

3. Clareamento dental

É normal que com o consumo de certos alimentos, maus hábitos e uma higiene bucal deficiente, os dentes escureçam ou ganhem manchas. Apesar de não ser um problema grave, dentes escurecidos tiram todo o brilho e beleza do sorriso. Para resolver essa questão, os pacientes podem se submeter ao clareamento dental.

Esse é um dos procedimentos mais procurados dentro dos consultórios. E não é para menos, pois além de não ser um procedimento invasivo, o clareamento proporciona resultados extremamente satisfatórios. O tratamento remove manchas e devolve a cor natural dos dentes, deixando o sorriso bonito e brilhante.

Há duas modalidades de clareamento dental: caseiro, feito com o uso de moldeiras, e a laser, realizado em consultório. Ambas as técnicas proporcionam resultados satisfatórios e, quando feitas por um profissional capacitado, não oferecem riscos ao paciente.

O tratamento não dói e os efeitos do clareamento podem durar até dois anos, mas isso depende dos hábitos e dos cuidados do paciente com sua higiene bucal. Após esse período, um novo procedimento é necessário.

4. Facetas de porcelana ou lentes de contato

As facetas de porcelana e as lentes de contato são o que há de mais moderno na odontologia estética. Atualmente, estão entre as melhores opções para pacientes que desejam atingir a perfeição do sorriso. O tratamento não é invasivo e, com poucas sessões, o paciente sai do consultório com sua aparência transformada.

As lentes de contato são indicadas para correções mais sutis no sorriso, como pequenas alterações na cor, no tamanho e na forma dos dentes, além de corrigir diastemas — espaços entre os dentes.

Já as facetas são indicadas quando o paciente deseja fazer uma transformação mais radical no sorriso. Elas corrigem diastemas e dentes trincados, fraturados ou lascados. São indicadas também para a correção de dentes manchados, que não respondem ao clareamento dental, e também para problemas como dentes girados ou mal posicionados na arcada.

5. Plástica gengival

Como falamos no início do texto, um sorriso perfeito é aquele que apresenta uma harmonia entre dentes, lábios e gengivas. Então, quando um paciente apresenta o sorriso gengival, toda essa harmonia é quebrada. Esse problema se caracteriza quando as gengivas aparecem em excesso ao sorrir.

Nesses casos, fica parecendo que os dentes são pequenos, mas, na verdade, o tecido gengival é muito grande. As causas podem ser genéticas ou provocadas por fatores externos, como uso de aparelho ortodôntico por muito tempo. Alguns medicamentos também contribuem para o crescimento das gengivas.

Para corrigir o sorriso gengival, o profissional corta o excesso de tecido e remodela as gengivas, deixando o sorriso mais harmônico. A cirurgia é feita sob anestesia local e não oferece riscos ao paciente, desde que ele siga as orientações do dentista em relação ao pós-operatório.

No entanto, para apresentar bons resultados, a cirurgia só pode ser realizada por profissionais qualificados, pois o procedimento exige muita habilidade e conhecimento técnico.

Essas foram nossas dicas para você ter um sorriso harmônico. Mas de nada adianta fazer tratamentos caríssimos se você não cuida de sua higiene bucal corretamente. Por isso, além de escovar os dentes no mínimo duas vezes ao dia e usar o fio dental diariamente, ainda é necessário ir ao dentista de 6 em 6 meses. Durante as visitas, ele avalia sua saúde bucal como um todo e, em caso de algum problema, rapidamente sugere a melhor opção de tratamento.

Se você precisa de profissionais qualificados para cuidar de sua saúde bucal, o Centro de Cirurgia Oral é o local indicado para você. Realizamos diversos tipos de procedimento. Entre em contato conosco para conhecer melhor nossos serviços.

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL