Odontogeriatria: o que você precisa saber?

Procurando atender de forma especial o público de mais idade, a odontogeriatria é um ramo dentro da odontologia que cuida de alguns conteúdos direcionados a um perfil mais idoso. Surgiu nos EUA, por volta dos anos 60, foi reconhecida academicamente nos anos 80 e chegou ao Brasil no século XX. Entre os temas dedicados na área estão: perda da tonicidade da língua e diminuição da sensibilidade gustativa.

Toda essa especialidade vai ao encontro da realidade no país. De acordo com o IBGE, a população idosa vem aumentando: de 1950 a 2025 será de até 16 vezes. Assim, nada mais apropriado do que oferecer algo de acordo com as necessidades das pessoas.

Leia o texto para ter mais informações sobre as competências e problemas tratados pela odontogeriatria!

Perda da tonicidade da língua

Assim como os demais músculos do corpo, com o passar dos anos a língua perde a rigidez, o que faz com que suas funcionalidades se deteriorem. Isso quer dizer que as capacidades da pessoa, como a de falar ou de se alimentar, ficam prejudicadas. Um especialista, como o odontogeriatra, é capaz de auxiliar o idoso a ter mais qualidade de vida.

Diminuição da sensibilidade gustativa

Outra mudança que a idade traz é a da capacidade de sentir o sabor dos alimentos. Com o tempo as pupilas gustativas vão diminuindo, fazendo com que a pessoa tenha vontade de usar mais tempero na comida e, muitas vezes, prejudiciais, como o sal e o açúcar. A orientação do profissional pode auxiliar o paciente a lidar melhor e a entender esse aspecto. Em alguns casos ele pode atuar junto com um nutricionista.


Diminuição da produção de saliva

Essa característica colabora para certos problemas, como a halitose. Com isso, o especialista pode agir de maneira preventiva, oferecendo conforto e melhor saúde bucal a seu paciente. Sabe-se que o mau hálito é capaz de atuar negativamente na vida da pessoa, inclusive em sua autoestima.

Perda de dentes

Fatores como a necessidade de usar mais sal e açúcar nos alimentos, além da perda da destreza para auxiliar na higiene bucal, fazem com que a perda dos dentes se acelere. Mas dessa forma, é recomendado um dentista especializado na terceira idade para atuar de maneira a prevenir ou desacelerar esse processo.

É possível, inclusive, que o paciente precise aumentar suas visitas, além de ter um atendimento mais personalizado. As maiores dedicações também valem para os implantes dentários.

Doenças gengivais

Com a idade, ocorre um aumento na incidência de algumas patologias bucais, como doença gengival, o que permite que bactérias se proliferem na boca. Contudo, quando isso acontece é gerada uma facilidade para que elas migrem para a corrente sanguínea e colaborem com a ocorrência de febre reumática, doença que atinge e debilita o músculo cardíaco.

Todo o organismo está ligado aos dentes, por isso é fundamental uma boa saúde bucal. A odontogeriatria é, assim, capaz de fornecer a dedicação que o paciente da terceira idade necessita, atuando nas suas peculiaridades e permite que ele tenha mais qualidade de vida e bem-estar.

Gostou do texto? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário no post que responderemos você!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL