Implante dentário em idosos: saiba como funciona

A perda dos dentes é um problema que atinge muitos que estão na terceira idade. No Brasil, a porcentagem da população acima dos 60 anos e que tem menos de 20 dentes na arcada é de 80%. Dessa forma, o implante dentário em idosos vem roubando o espaço das tradicionais dentaduras e chapas, que antes eram as únicas opções para substituir os dentes em falta.

Além disso, essa alternativa apresenta diversas vantagens não oferecidas pelos antigos métodos de substituição artificial de dentes, como mastigação satisfatória, conforto, fixação e aparência muito natural. No entanto, existem algumas peculiaridades no procedimento e muitas dúvidas quando ele é realizado em pacientes de idade mais avançada.

Quer saber mais sobre o implante dentário em idosos? Neste artigo, separamos tudo o que pacientes da terceira idade precisam saber antes de passar pelo procedimento. Vamos conferir?

Até que idade é possível fazer o implante?

O implante dentário pode ser feito em qualquer idade, independente de quão idosa seja a pessoa. No entanto, a boa condição de saúde do paciente é um fator indispensável para que todo o processo seja seguro e de qualidade.

Por esse motivo, há os seguintes empecilhos para a realização de um implante:

  • idosos anêmicos ou debilitados, porque podem não suportar a cirurgia e o pós-operatório;  
  • pacientes cardíacos sem autorização médica;  
  • pacientes diabéticos e com hipertensão fora do controle;  
  • pessoas com osteoporose avançada, doença que atinge principalmente as mulheres na terceira idade deixando seus ossos mais fracos e quebradiços;  
  • idosos com problemas psiquiátricos, cognitivos, acamados ou com qualquer outra restrição que os impeça de cumprir todos os cuidados e higienização do implante no pós-operatório.  

No implante, os pinos devem ser inseridos nos mesmos locais em que houve a perda de dentes ou que foram removidos, com a necessidade de que a região ainda conte com volume e dimensão adequada de estrutura óssea.

Caso a quantidade de osso do idoso não seja suficiente, o dentista pode fazer um enxerto ósseo. Essa é uma forma de expandir a possibilidade de realizar o procedimento em um número maior de pacientes idosos, que não possuem uma estrutura óssea bucal conservada, o que ocorre, principalmente, por causa de doenças periodontais, aquelas que atingem a gengiva e o osso.

O tempo de recuperação é maior na terceira idade?

A recuperação é o período em que o organismo integra os pinos do implante no osso da mandíbula ou maxilar.

Esse fenômeno é chamado de osseointegração e somente após esse período é que o implante estará pronto para ser utilizado na sua principal função: a de mastigar. Antes disso, uma dieta líquida e pastosa é a única opção para o paciente.

Para os idosos, o tempo de recuperação tende a ser maior que em pacientes mais jovens, no entanto, é possível reduzir esse intervalo. Os materiais e formatos dos implantes estão, cada vez mais, sendo aperfeiçoados para acelerar a osseointegração, o que diminui o período de recuperação do paciente e permite que ele volte para a sua rotina normal muito mais rápido.

Existem tipos de implantes mais adequados para a população idosa?

O tipo de implante varia conforme as necessidades de cada paciente. Para isso, o cirurgião-dentista precisa avaliar caso a caso, considerando também as condições de saúde bucal e geral do idoso.

Confira agora quais são os implantes e para quem são mais indicados:

Pacientes que usam prótese total há muito tempo

Para esses idosos, o tipo de implante ideal é o “overdenture” ou sobredentadura, no qual apenas 2 pinos são inseridos de cada lado da arcada e servem de suporte para a prótese total fixa.

Além do menor custo e eficiência do procedimento, essa prótese fixa fornece uma boa aparência para o sorriso do paciente, recompondo especialmente a gengiva que foi muito danificada pelas próteses antigas.


Pacientes que começaram a usar prótese total recentemente

Se a perda dos últimos dentes ocorreu há pouco tempo, isso significa que o suporte ósseo do idoso ainda está conservado. Nesses casos, a opção “protocolo”, em que são inseridos de 5 a 6 pinos de implantes por toda a arcada, é a mais adequada. Dessa forma, a prótese ficará fixa com maior segurança, o que garante estabilidade e poder mastigatório ao paciente.

Pacientes que perderam poucos dentes

Para os idosos que estão com desfalque de apenas 1 ou 2 dentes, os implantes unitários são os ideais. Assim, é possível restabelecer a arcada dentária do paciente e recuperar a eficiência da mastigação, além de garantir uma estética adequada para o sorriso.

Quais são os cuidados necessários para a realização do procedimento na terceira idade?

Para a realização do melhor procedimento no idoso, escolher um bom cirurgião-implantodontista, o qual avaliará muito bem a situação de cada paciente, respeitando suas particularidades, condições de saúde e não acatando as exigências do idoso, caso ele opte por uma solução não adequada para ele, é um ponto crucial.

Além disso, o profissional deve dominar e aplicar as melhores técnicas de implantes, utilizando materiais de qualidade e realizando todos os procedimentos sem pressa. Buscar por profissionais habilitados e com experiência em implante dentário em idosos é uma forma de garantir que o procedimento será bem-sucedido.

Ademais, é importante destacar que, saindo do consultório após passar pela inserção cirúrgica dos pinos de implante, os cuidados do paciente estão só começando. Portanto, é fundamental cobrar do dentista explicações detalhadas, com as medidas necessárias, principalmente sobre higienização e alimentação no pós-operatório e período de recuperação, os quais devem ser seguidos de maneira rigorosa.

Tomando todos os cuidados, a taxa de sucesso do implante dentário na terceira idade é elevada. Além disso, essa é uma forma de evitar a frustração desses pacientes, que podem até desenvolver uma depressão se o implante não der certo, porque contam com o procedimento como um último recurso para ter uma arcada dentária completa novamente.

Por fim, o implante dentário em idosos está cada vez mais presente na vida dessa população, a qual encontra na técnica uma forma de recuperar a mastigação adequada, uma nutrição satisfatória e um sorriso bonito. Assim, tomando todos os cuidados necessários e contando com um bom cirurgião-dentista, o procedimento tem tudo para dar certo!

Ficou curioso e quer saber ainda mais sobre os implantes dentários? Então, você precisa entender também as etapas do procedimento. Aproveite!

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL