A nossa boca é um dos locais mais sensíveis do nosso corpo, e dor de dente é algo que incomoda a todos. Além disso, os tratamentos dentários podem causar dores e incômodos — sobretudo em pessoas mais sensíveis ou quando são feitos sem anestesia. Por isso, a pergunta se implante dentário dói é tão comum. Tire essa sua dúvida no texto a seguir.

O que é um implante dentário?

A função do implante dentário é devolver as funções mastigatórias e estéticas do dente perdido. Um dente implantado nada mais é do que um conjunto de pino de titânio e de uma prótese (dente artificial). O pino é inserido no osso da arcada superior ou inferior através de um procedimento cirúrgico. A função do pino é substituir a raiz do dente natural servindo como base para a implantação da prótese.

Como é instalado o implante dentário?

Para fazer um implante, é preciso que o cirurgião-dentista faça algumas incisões na gengiva, além de descolá-la para que o profissional possa realizar o implante dentário.

Implante dentário dói?

Como vimos anteriormente, incisões na gengiva são necessárias, por isso as pessoas temem sentir dor no implante dentário. No entanto, o procedimento é feito com anestesia local e cada paciente pode precisar de uma quantidade diferente de anestésico — o que é observado no ato da cirurgia.

Após a abertura da gengiva, o cirurgião-dentista chega até o osso para implantar o pino. Nesse momento não há possibilidades de dor, pois o osso não possui enervação — a rede neural é responsável por levar o estímulo doloroso ao cérebro, portanto, sem nervos, sem dor.

Dessa forma, o implante dentário não dói. Porém, algumas pessoas mais sensíveis podem sentir  um desconforto. O uso de medicamentos como analgésicos e/ou anti-inflamatórios pode aliviar certas dores que aparecem ao passar o efeito da anestesia e inchaços (edemas) devido a alguma leve inflamação que acontece devido à manipulação do local. Além disso, nos dias subsequentes ao procedimento, pode haver sensação dolorosa ao mastigar alimentos mais duros, por isso recomenda-se alimentos pastosos nos primeiros dias.

Existe outro motivo que pode causar incômodos e dores, o insucesso do implante. Ele acontece se a qualidade óssea for baixa, se houver dificuldades mecânicas em relação à prótese, complicações pós-operatórias ou contraindicações ao implante dentário. Esses são fatores que podem comprometer o sucesso do procedimento e, assim causar dor. No entanto, se o cirurgião-dentista observar todos os cuidados necessários para realizar o procedimento e se o paciente possuir a quantidade óssea ideal, a possibilidade de rejeição é muito remota.

Implante dentário dói em gengivas inflamadas?

Implante dentário é feito com anestesia e não dói

Quando as gengivas estão inflamadas, a anestesia pode demorar mais a fazer efeito ou mesmo não chegar a anestesiar completamente. Nesse caso específico, o implante dentário dói, por isso, não é recomendável fazer o procedimento em pessoas com gengivas inflamadas.

Mas o que causa inflamação nas gengivas? A falta de higiene bucal, o que aumenta a proliferação de bactérias da região oral, é um dos fatores. Além disso, escovar os dentes com muita força e passar o fio dental de forma inadequada, entre outras causas, podem deixar as gengivas inflamadas.

Por isso, na data da cirurgia é fundamental que as gengivas estejam saudáveis para não causar dor ao fazer o implante dentário.

Existe implante dentário sem corte?

Ao pensar na inexistência de cortes, é natural imaginar que um implante dentário não dói, mas como qualquer cirurgia, pode haver dores e sensibilidade no pós-cirúrgico, o que é controlado com medicamentos prescritos pelo cirurgião-dentista. Isso porque, o implante dentário sem cortes, também conhecido como cirurgia guiada, é planejado por computador e a diminuição da dor se dá pela mínima incisão que é feita (imprescindível para fazer a implantação do pino) fazendo com que o procedimento seja menos invasivo.

Neste post vimos que o implante dentário não dói se a anestesia for aplicada corretamente, se as gengivas não estiverem inflamadas e incomodam menos ainda se for feito o implante com cirurgia guiada.

Agora que você já tirou sua dúvida se implante dentário dói leia também: Entenda como funciona o enxerto ósseo dentário!

 

Dr. Luis Coradazzi é especialista em implantes dentários

Dr. Luis Francisco Coradazzi | CRO 7747 RT

Em pleno século XXI é comum ouvir pessoas dizendo que têm medo de dentista. Traumas na infância, histórias de conhecidos que sofreram com tratamento odontológico, dor e falta de informação podem justificar tanto medo que as pessoas sentem ao irem ao dentista. E apesar do auxílio da mídia em divulgar informações para amenizar os temores com relação ao consultório odontológico, é possível observar o quanto as pessoas carecem de conhecimento em relação à importância da saúde bucal e de enfrentar o medo de ir ao dentista.

De acordo com dados do Conselho Federal de Odontologia, mais de 20 milhões de brasileiros nunca tiveram acesso ao dentista. 68% da população não sabem que têm direito a tratamento odontológico público e 46% consideram difícil o acesso ao dentista.

O medo de dentista é a razão das ausências ao consultório?

A pesquisa anterior só mostra o quanto a saúde bucal não é prioridade na vida dos brasileiros, deixando de realizar a prevenção e os tratamentos necessários. Mas quantos desses cidadãos não vão ao consultório por medo de dentista?

Acredita-se que 9% a 15% da população (30 a 40 milhões de pessoas) dos EUA não vai ao dentista por ansiedade e medo. Uma pesquisa feita pela British Dental Health Foundation, apontou que 36% das pessoas que não iam aos consultórios odontológicos com frequência apontaram que o medo era a principal razão.

Prevenir problemas dentais é uma saída para o medo de dentista.

O famoso ditado popular “é melhor prevenir do que remediar” faz muito sentido quando o assunto é “medo de dentista”. Isso, porque, além de ser muito mais barato, a prevenção é menos (ou nada) invasiva. No sentido de atendimento odontológico é pouco invasiva (limpeza, raspagem de tártaro, aplicação de flúor, educação quanto à escovação) ou nada invasiva com relação aos cuidados que devemos ter em casa, como escovar os dentes após as refeições, e usar fio dental. Isso porque, essas atitudes ajudam muito na prevenção de doenças bucais.

Ir ao dentista é uma forma de combater o pavor de dentista.

Parece ilógico dizer que ir ao dentista combate o medo dos consultórios odontológicos? Só aparenta, pois, na verdade, o hábito de consultar o dentista ao menos uma vez ao ano (mas preferentemente a cada seis meses), faz com que as consultas sejam apenas para limpeza dental e detecção de cáries em estágio inicial — quanto menores as cáries menos dolorosos tendem ser os tratamentos. Por isso, ir ao dentista quando não está com dor, apenas para profilaxia, pode ser uma excelente maneira de começar a combater o medo de dentista.

Qual a diferença entre ansiedade odontológica e medo de dentista?

Existem duas sensações diferentes que podem ser confundidas. Uma delas é a ansiedade odontológica e a outra é o medo de dentista (odontofobia).

Ansiedade Odontológica

A ansiedade odontológica traz sensação de desconforto no momento da consulta. Elas se preocupam demasiadamente e podem sentir medo sem nenhuma razão.

Odontofobia

Aqui temos uma condição médica séria. O medo é intenso fazendo a pessoa, inclusive, se apavorar. Pessoas com medo de dentista não são só ansiosas, mas ficam aterrorizadas e com pânico.

Por tudo o que vimos, fica claro que a rotina no consultório demonstra que o medo extremo impede que as pessoas se cuidem. Mas, quando os profissionais buscam por informações por desejarem ultrapassar a barreira imposta pelo medo, o desejo de cuidar desses pacientes e ajudá-los a superar o medo (seja indicando uma terapia, seja se especializando em terapia odontológica, entre outros métodos) é despertado.

Além disso, cabe ressaltar que, hoje em dia, a tecnologia é forte aliada nos tratamentos de saúde, já que agilizam os atendimentos, minimizam a dor e com isso, desgastam menos os pacientes.

Agora que você sabe mais sobre o medo de dentista, leia também: você pode fazer cirurgia de siso dormindo! Saiba como!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747