O que é e quais as causas mais comuns da infecção dentária?

Você sabia que sentir dores fortes, incômodos ou sensibilidade na região bucal é sinal clássico de uma infecção dentária? Também chamado de abscesso, esse quadro é desenvolvida devido ao acúmulo de pus causado por bactérias infiltradas que se multiplicam rapidamente, principalmente por causa de uma limpeza insuficiente da cavidade oral.

Além disso, esse problema, muito mais sério do que a maioria das pessoas pensam, pode resultar em consequências graves para a sua saúde bucal e geral se não for tratado adequadamente.

Quer saber mais sobre infecção dentária? Neste artigo separamos as informações mais relevantes sobre o assunto. Vamos conferir?

O que é a infecção dentária?

A infecção dentária é definida pela infiltração de bactérias na cavidade dental, as quais ficam alojadas entre a gengiva e o osso, atingindo inclusive a sua raiz. Assim, a infecção pode ser classificada de duas formas:

  • periapical, se a região infeccionada for a ponta da raiz; 
  • periodontal, quando a infecção acomete apenas a gengiva ao redor da estrutura dentária.

É importante destacar que essas bactérias fazem parte da microbiota bucal, ou seja, elas sempre estão presentes na região e participam das primeiras etapas do processo digestivo. A infecção é desencadeada pelo excesso de microrganismos que se multiplicam devido a resíduos de alimentos não retirados por uma boa higienização, o que cria um ambiente propício para que elas invadam as estruturas dentárias mais facilmente.

Quais são os sintomas?

São diversos os sintomas que caracterizam um abscesso dental. Entre os mais comuns, estão:

  • dor de dente manifestada de forma aguda e latejante;
  • gengivas avermelhadas;
  • sangramento e pus;
  • inchaço nas gengivas e bochechas;
  • dores intensas durante a mastigação;
  • dificuldades na deglutição;
  • mau hálito.

Além disso, os sintomas da infecção dentária são ampliados devido à reação imunológica do organismo, resultando também em:

  • febre; 
  • inchaço de gânglios linfáticos, principalmente da região do pescoço e cabeça.


O que causa o abscesso dental?

As infecções, caracterizadas pela penetração e multiplicação de bactérias na gengiva ou nas estruturas do dente, têm diversos fatores desencadeantes. Entre os principais, certamente está a falta de higiene bucal.

Por esse motivo, fazer uma boa escovação logo após as refeições e passar fio dental todos os dias, além de realizar visitas periódicas e preventivas ao dentista, é indispensável para manter a condição dentária em bom estado e evitar o acúmulo e reprodução de bactérias que podem causar uma infecção.

Além disso, dietas com excesso de açúcar e alimentos industrializados que possuem acidulantes em sua composição induzem ao surgimento de gengivite, uma inflamação na gengiva, e cáries, que são desgastes no esmalte do dente, ambos problemas que propiciam ainda mais o desenvolvimento das infecções.

Procedimentos dentários mais invasivos, como um tratamento de canal, também podem resultar em um abscesso, devido à exposição de estruturas internas do dente.

Ademais, pessoas que possuem um sistema imunológico mais fraco, como idosos, crianças e pacientes em tratamento de câncer, estão mais propensos a desenvolver infecções dentárias, inclusive as manifestações mais severas e agravos.

Quais complicações podem ocorrer?

Não realizar o tratamento necessário para curar uma infecção dentária é sinônimo de problemas ainda piores. Primeiro, essa infecção desenvolve uma inflamação no local, sendo que as dores são crescentes e tornam-se insuportáveis.

Com o passar do tempo, o dente infeccionado deixa de inflamar e manifestar sintomas como inchaço e dor. No entanto, isso não quer dizer que a infecção cessou. Ao contrário, ela estará camuflada e poderá atingir regiões ainda mais internas do dente.

Assim, a polpa da raiz é extremamente atingida, podendo necrosar e morrer, fazendo com que o paciente perca por completo a sensibilidade no local. Além disso, a infecção pode atingir também os ossos da boca, mandíbula ou maxilar, provocando um quadro chamado de osteomielite.

No entanto, algo desconhecido pela maioria das pessoas é que a infecção dentária não tratada atinge também outras partes do corpo, provocando quadros tão graves que podem até levar o paciente a óbito.

Entre os exemplos desses agravos está a migração de bactérias para os seios da face, que são espaços vazios entre os ossos do rosto e do crânio, provocando sinusite. Esses microrganismos podem atingir ainda alguma veia, caindo na corrente sanguínea e afetando órgãos vitais como o cérebro e o coração.

Se chegarem às válvulas cardíacas, essas bactérias podem causar a endocardite, uma inflamação grave, especialmente para os pacientes cardíacos.

Em casos raros, mas nunca descartados, um quadro chamado de sepse, ou infecção generalizada, pode ocorrer. Muitas vezes fatal, essa condição é decorrente da resposta do organismo contra a infecção, e pode danificar os seus próprios órgãos e sistemas de forma severa.

O que devo fazer se desconfiar de uma infecção dentária?

Ao sentir os primeiros sintomas de uma infecção, que incluem dores fortes na região bucal, a primeira reação de grande parte da população é se automedicar com algum analgésico ou anti-inflamatório.

Entretanto, essa não é a melhor conduta a ser tomada, porque esses medicamentos são paliativos, ou seja, amenizam os sintomas mas não curam o abscesso. Então, se você desconfiar que qualquer foco de infecção está se desenvolvendo dentro da sua boca, o melhor a se fazer é procurar um dentista imediatamente.

Consultando-se com um profissional habilitado para fazer o diagnóstico adequado do seu caso, o tratamento será estabelecido, podendo incluir o uso de antibióticos (o mais comum) — comprados apenas com prescrição —, um tratamento de canal ou até a extração do dente.

Antibióticos

Para o tratamento com antibióticos ser eficiente, é necessário que você respeite as dosagens, horários e quantidade de dias que o medicamento deve ser tomado.

Se você ainda estiver no meio do tratamento e sentir uma melhora total dos sintomas, isso não significa que está permitido parar com a medicação. Você deve tomar o antibiótico até o fim, para que a infecção seja realmente curada e não selecione bactérias resistentes, mais difíceis de eliminar e que podem provocar todas as complicações citadas no tópico anterior.

Assim, não menospreze uma dor no dente, procure sempre um dentista de confiança e realize o tratamento indicado corretamente. Essa é a melhor maneira de evitar uma infecção dentária, prevenir complicações manter a saúde bucal e geral em dia.

E aí, gostou do conteúdo? Que tal dividir essas importantes informações sobre infecções dentárias com os seus amigos e familiares? Compartilhe este post nas redes sociais!

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL