Afinal, o que é siso incluso e quais as principais complicações

O ser humano possui entre 28 e 32 dentes. Totaliza 32, caso os terceiros molares, ou seja, os sisos, nascerem. Popularmente conhecidos como “dentes do juízo”, esses são os últimos dentes a serem formados e ganharam esse apelido justamente por aparecerem na fase da transição entre a adolescência e a idade adulta. A maioria das pessoas não dispõe de espaço suficiente para acomodar esses novos dentes e, muitas vezes, eles ficam retidos dentro da gengiva, ou seja, elas possuem um siso incluso.

Um dente do siso que nasce corretamente já pode causar muita dor e inflamação, o que é um período muito desagradável para quem está passando por isso. Um terceiro molar que não nasce, no entanto, pode gerar incômodos muito mais significativos, os quais exigem certa atenção e alguns cuidados pelo paciente e seu dentista.

Você está nessa situação e tem muitas dúvidas sobre o siso incluso? Separamos neste post as principais informações sobre esses dentes que não rompem a gengiva. Acompanhe!

O que são sisos inclusos?

Denominam-se sisos inclusos os terceiros molares que estão total ou parcialmente presos no interior do maxilar, no caso dos sisos superiores, e na mandíbula, para os sisos inferiores.

Nesses casos, os sisos apresentam muita dificuldade para nascer, sendo que, muitas vezes, podem nunca sair de dentro do osso. Assim, esses dentes não fazem parte do arco dentário como todos os outros dentes permanentes e nunca vão exercer a função de mastigação.

São inúmeros os fatores pelos quais esses dentes podem estar retidos, entre eles estão alterações ósseas e no tecido da gengiva, doenças relacionadas aos tecidos formadores dos dentes, a falta de espaço para seu correto desenvolvimento e até a posição do siso no interior da gengiva, como deitado, na diagonal ou de ponta cabeça.

Quais os problemas ocasionados por sisos inclusos?

Os sisos semi-retidos ou semi-inclusos, isto é, que despontam para fora da gengiva, podem gerar processos infecciosos e inflamatórios, como, por exemplo a pericoronarite.

Esse quadro trata-se de um processo inflamatório na gengiva situada ao redor da coroa dentária que desponta, mas, não nasce completamente, gerando uma situação de rompimento constante da gengiva, sem a correta cicatrização.

Entre os sintomas apresentados nessas situações estão o inchaço, dor aguda na região e limitação dos movimentos da boca, fatores que dificultam a fala e a mastigação do paciente, afetando muito a sua rotina.

Ademais, se não tratada corretamente, a pericoronarite pode evoluir para uma infecção no local, que pode progredir para tecidos mais profundos da boca, atingindo até os ossos.

Além disso, os sisos semi-inclusos acarretam em muito acúmulo de resíduos de alimentos ao seu redor. Ajudado pela sua localização profunda na arcada dentária, a higienização adequada é dificultada, e isso pode resultar no desenvolvimento de placa bacteriana, gengivite e cáries.

No caso dos sisos inclusos, que estarão constantemente forçando a sua saída para o exterior da gengiva, as principais complicações incluem:

  • muita dor e incômodo, pois a movimentação do siso resulta em inflamação recorrente;  
  • destruição e reabsorção da raiz do dente vizinho, deixando-o mole ou solto;  
  • cistos e tumores nos tecidos periféricos.  

Além disso, um siso incluso pode acarretar em apinhamento dos dentes, ou seja, quando os demais dentes da arcada dentária vão ficando cada vez mais próximos e tortos.

Isso pode ser um problema muito grande, pois resulta em problemas estéticos para o paciente, afetando sua autoestima, e pode estragar completamente o tratamento realizado por quem já utilizou aparelho ortodôntico.

Como identificar os sintomas?

Se você já está na idade em que se espera o nascimento do terceiro molar, em média entre os 17 e 21 anos, e seu siso ainda não irrompeu, porém, você está percebendo que a região mais ao fundo da sua gengiva está frequentemente avermelhada, inchada e dolorida, você pode ter um siso incluso.

Se os seus dentes já começaram a entortar, o ideal é procurar um dentista de confiança o mais rápido possível, para que ele faça o tratamento necessário e evite que o caso se torne mais grave.

Entretanto, há situações em que o siso incluso pode não manifestar sintoma algum, mas, ainda assim, agir silenciosamente, formando cistos e tumores que só serão percebidos quando em estágios mais avançados.

Isso mostra a importância de fazer um acompanhamento periódico com um profissional dentista, o qual pedirá radiografias panorâmicas para saber como o seu siso está e quais os riscos que ele apresenta.


É necessário extraí-los?

No caso de um terceiro molar incluso, o tratamento mais comum é a extração do dente. A idade mais recomendada para a retirada dos sisos é durante a adolescência, em que os tecidos são mais moles, a raiz do dente ainda não está bem formada e a cicatrização e recuperação do paciente é muito mais rápida.

Ao escutar de um cirurgião-dentista ou cirurgião-bucomaxilofacial que seu caso necessita de uma cirurgia de extração, você pode ficar preocupado e, muitas vezes, até com medo dos riscos e consequências de passar por uma intervenção cirúrgica.

Todavia, não se preocupe! O procedimento de retirada dos sisos, na maioria das vezes não é tão complexo, com riscos muito baixos de complicação. Em casos de siso incluso, é necessário realizar um pequeno desgaste ósseo para a exposição do dente, o que não é muito invasivo.

Na grande maioria dos casos, a cirurgia é realizada em consultório odontológico, sem necessidade de internação nem de ir para um hospital. Ademais, você não sentirá dor alguma durante a retirada, pois a sensibilidade do local é bloqueada com a aplicação de anestesia local.

O pós-operatório também não é muito longo, durando aproximadamente 3 dias. Você ficará com um pouco de inchaço e sensibilidade no local, o que varia de paciente para paciente, no entanto, nada muito severo.

Esse período exige cuidados com a alimentação, que deve ser fria e pastosa, higienização da boca e utilização de antissépticos, para que infecções sejam evitadas, utilização de medicamentos como antibióticos e anti-inflamatórios e muito repouso.

O siso incluso pode ser um problema gigantesco, com sintomas e consequências muito desagradáveis. A procura de um dentista é, portanto, indispensável para que o tratamento adequado seja aplicado e que os incômodos dentro da sua boca terminem.

Assim, nunca deixe de se consultar com um profissional odontólogo, pois ele é habilitado para evitar complicações ainda maiores relacionadas aos seus dentes, as quais podem afetar muito a sua vida.

Agora que você já conhece os principais pontos sobre o dente do siso incluso, certamente gostará de saber tudo sobre os terceiros molares!

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL