O enxerto ósseo é uma alternativa para pacientes que desejam fazer um implante dentário, mas apresentam perda óssea. Quando há essa perda, a pouca quantidade de osso na mandíbula e ou maxila pode impossibilitar a cirurgia de implante dentário. Mas quando é necessário a cirurgia de enxerto ósseo? Você sabe como ela é feita?

Tiramos as suas dúvidas aqui!

O que é enxerto ósseo?

O enxerto ósseo é um procedimento cirúrgico, realizado por um cirurgião, que consiste em repor tecido ósseo em uma região a ser reabilitada. No caso da odontologia, o enxerto ósseo servirá para restituir alguma parte dos maxilares que, por reabsorção, perdeu tecido ósseo.

Com o passar do tempo às pessoas tendem a perder os dentes, bem como os ossos alveolares, quando não se tem um acompanhamento adequado e uma higienização constante dos dentes e gengivas.

A cirurgia de enxerto ósseo visa o aumento da espessura ou da altura do osso no local em que será feito o procedimento de implante. É um procedimento cirúrgico simples e pode ser feito em um consultório odontológico, com anestesia local, ou, em casos mais avançados, com anestesia geral.

É necessário que o paciente passe por uma avaliação do cirurgião-dentista para que sejam definidos qual a melhor técnica a ser utilizada, a dimensão do caso e como será feito o enxerto ósseo.

Quais são os tipos de enxerto ósseo?

Existem alguns tipos de enxerto ósseo que possuem aplicações específicas para cada tipo de procedimento. Esses enxertos podem ser de um doador humano, do próprio paciente, de origem animal ou sintético. Vamos conhecer alguns deles.

Do próprio paciente ou autógenos

Esse tipo de enxerto ósseo é removido do próprio paciente. A cirurgia é feita com anestesia local no próprio consultório odontológico e, caso o procedimento seja mais avançado, ele precisa ser feito em um ambiente hospitalar, com anestesia geral. O enxerto ósseo pode ser extraído do osso ilíaco, da calota craniana ou de algumas regiões da mandíbula, em um local posterior ao siso, chamado de ramo da mandíbula. Essa região tem quantidade óssea suficiente para a maioria dos casos.

É possível afirmar que o osso autógeno é considerado como “padrão ouro”, e seus resultados são excelentes. Ele não apresenta chances de rejeição e tem forte potencial de formação de um novo osso em razão de o material ser genético.

Doação de terceiros ou alógenos

Esse tipo de enxerto ósseo é provido de cadáveres humanos. Grande parte da proteína óssea, que provoca a formação do osso, é destruída durante o seu processamento, e o enxerto ósseo perde um pouco do seu potencial de neoformação óssea. Ele funciona como um andaime, uma estrutura que auxilia no direcionamento da formação óssea. Esse material é obtido e processado por banco de óssos devidamente capacitados para colher e preparar esse material de enxerto, sem riscos de transmissão de doenças para o paciente.

Origem animal ou Xenógenos

São enxertos vindos de outras espécies, de origem animal. O mais utilizado é a de origem bovina. Esse enxerto ósseo pode ser misturado ao tecido ósseo autógeno ou utilizado isoladamente em situações em que há necessidade de preenchimentos de cavidades. Ele promove uma maior integração e substituição por um osso novo, permitindo uma reabilitação com implantes na região enxertada.

Como é feita a cirurgia de enxerto ósseo?

Após passado por uma avaliação do cirurgião-dentista e atestado a sua necessidade, é preciso que o paciente passe por algumas etapas para a conclusão do processo. Uma delas é a realização de uma série de exames para identificar a área que irá receber o enxerto e de quanto material será necessário para fazer o preenchimento.

Exames necessários para fazer enxerto ósseo

Alguns exames são necessários antes de ser realizada a cirurgia de enxerto ósseo. Para saber se é necessário fazer o procedimento, é preciso analisar a maxila e a mandíbula de cada paciente. Por meio de radiografias e, até mesmo, de tomografias, é possível avaliar como está a estrutura óssea bucal da pessoa e qual a melhor forma de realizar a cirurgia.

A cirurgia de enxerto ósseo

Após os exames feitos, está na hora de dar andamento no tratamento! O paciente irá passar por algumas etapas até a conclusão e realização da prótese dentária. São elas:

  1. Remoção do dente comprometido, se for o caso, e posterior espera da cicatrização natural da região, por 1 mês no mínimo. Utilização de prótese provisória.
  2. Realização do enxerto, após ser avaliada a quantidade óssea que a região irá precisar. Isto implica na seleção da área doadora, por exemplo. Espera entre 6 e 9 meses.
  3. Realização de implante dentário. Espera de 3 meses para recuperação.
  4. Realização da prótese.

A cirurgia pode ser feita com anestesia local, com sedação ou, dependendo do caso, com anestesia geral. Tudo para o melhor conforto do paciente.

Cuidados no pós-operatório

É de suma importância que o paciente submetido a cirurgia de enxerto ósseo siga a risca as orientações do cirurgião-dentista para o pós-operatório. Esses cuidados podem influenciar consideravelmente no resultado da cirurgia. Alguns devem ser seguidos com rigor para que o osso faça uma boa cicatrização e o paciente consiga receber o implante. Vamos conhecer algumas delas?

Repouso

O repouso é muito importante para a recuperação do paciente. O indicado é, no mínimo, 48 horas. Dependendo do tipo de recuperação, o repouso pode demandar até 10 dias de atestado.

Evitar atividades físicas e esforços exagerados nas primeiras 48 horas são essenciais para uma boa recuperação. Além disso, dê prioridade para ambientes ventilados e frescos. Evitar tomar sol nos primeiros dias também é necessário.

Cuidar da alimentação

O indicado é que, nas primeiras 48 horas, o paciente consuma alimentos frios, pastosos e líquidos. Sorvetes e sucos gelados também podem ser consumidos. A ingestão de alimentos gelados pode aliviar a sensação de dor e inchaço.

A alimentação pastosa nos primeiros dias evita que a pessoa tenha uma mastigação excessiva que possa aumentar a dor e, até mesmo, a atrasar recuperação. Mas, apesar de ser indicado o consumo de bebidas geladas, não é adequado a ingestão de bebidas alcoólicas, porque o álcool pode desidratar o corpo, diminuir a resistência e, consequentemente, aumentar o risco de infecções.

Higienização adequada

Deve-se ter cuidado ao realizar a higienização bucal. Não se esqueça de escovar os dentes próximo ao local operado, mas seja cauteloso e faça isso lentamente para não machucar a região.

Compressas na região operada e evitar falar nos primeiros dias, também são ótimas dicas para uma boa recuperação do enxerto ósseo.

Conheça o Centro de Cirurgia Oral

A mais de 12 anos, o CCO, localizado em Goiânia – Goiás, é uma clínica odontológica especializada em cirurgia Bucomaxilofacial, Implantodontia e Reabilitação Oral.

Fundada como resultado da parceria entre o Dr. Henrique Taniguchi e o Dr. Luís Francisco Coradazzi, a clínica se diferencia dentro do mercado de cirurgias ortodônticas. É referência em enxertos, reabilitações de implantes dentários e extração de sisos.

Veja Também