O que são as lentes de contato dental?

Um sorriso harmônico e saudável faz toda a diferença, não só para o nosso corpo mas para a nossa autoestima. Para chegar ao tão sonhado “sorriso bonito”, um procedimento vem ganhando destaque nos consultórios odontológicos por possibilitar a correção dos dentes, e até mudar seu tamanho, formato, comprimento ou cor. São as lentes de contato dental.

Mas você sabe o que são as lentes de contato dental? Esclarecemos para você!

As lentes de contato dental são placas de cerâmica, mais ultrafinas em relação às facetas, com 0,2 a 0,4 mm de espessura, indicadas para pequenas correções, como fechamento de espaços, aumento do comprimento, largura, arredondamento de ângulos. São tão finas que parecem transparentes, pois isso ganharam esse nome.

O material usado na confecção da lente de contato dental é o dissilicato de lítio, mais resistente que as porcelanas tradicionais. Graças aos diversos níveis de translucidez desse material, a faceta pode ser moldada em variadas espessuras com grande sucesso estético.

Quais seus benefícios?

A técnica é usada para recobrir os dentes da frente e pode ser aplicada a muitas situações, como:

  •  dentes quebrados;
  •  dentes desgastados;
  •  dentes com espaços entre eles;
  •  dentes irregulares ou desalinhados;
  • dentes descoloridos por causa de excesso de flúor, medicamentos ou tratamento de canal.

O procedimento proporciona uma aparência natural, porque a cor das lentes de contato dental reproduz o branco dos dentes. Além disso, elas podem ser colocadas rapidamente e de modo bastante simples. O tecido da gengiva suporta bem a porcelana, o que garante o sucesso na colocação.

Existe contra-indicação?

Sim. É necessário que o paciente passe por uma avaliação prévia, para que o dentista possa averiguar a sua saúde bucal e se há algo que possa comprometer a durabilidade das lentes de contato dental. Em alguns casos específicos esse procedimento não é recomendado. São eles:

Bruxismo

Pacientes com bruxismo precisam controlar a síndrome antes da instalação das lentes. Afinal, a porcelana não impede a fratura da raiz do dente que pode ocorrer depois de muito apertar e ranger. Se isso acontecer, a lente de contato dental deverá ser substituída por um implante e uma prótese de porcelana na mesma cor do sorriso, a fim de preservar sua naturalidade.

Maus hábitos de saúde

O hábito de roer as unhas,  mascar chiclete, usar os dentes para romper lacres ou abrir garrafas, ou morder objetos como pontas de caneta podem desgastar a lente de contato dental e o resultado pode ser fraturas nelas e nos dentes que lhe dão suporte resultando em um novo tratamento.

Fumar também não combina com as lentes de contato.

Restaurações em excesso e tom escuro dos dentes

Para quem tem dentição com muitas restaurações,  ou quem tem os dentes muito escurecidos, é possível que as lentes de contato dental não consigam cobrir o suficiente para atingir a “clareação” esperada.

Higiene bucal deficiente

As lentes de contato dental não protegem os dentes contra cáries, gengivite e outros problemas de saúde bucal, portanto é necessário manter os mesmos hábitos de higiene, com escovação e uso do fio dental.

Gengivite e periodontite

É preciso curar esses quadros antes da instalação das lentes de contato dental, para evitar que se agravam ainda mais.

Dentição incompleta ou mordida instável

As lentes de contato dental geralmente são aplicadas nos 6 dentes mais frontais do sorriso, portanto não vai adiantar reforçar os dentes da frente e não ter os dentes do fundo da boca. Uma mordida instável também pode impedir a aplicação das lentes, visto que podem trazer desgaste prematuro delas, podendo inclusive impactar o dente por baixo delas.

Como é realizado o procedimento?

Após a avaliação do dentista e atestado que o paciente pode usar as lentes de contato dental, será possível iniciar o tratamento.

É um procedimento rápido, em que consiste fixar nos dentes selecionados as lentes de contato dental, de aproximadamente 0,2 a 0,4 mm de espessura. Em muitos casos não é necessário a desgaste do dente, devido a espessura das lentes, que são bem finas, e se adequam a cor natural dos dentes.

Qual é a durabilidade?

As lentes de contato dentárias duram, em média, de 8 a 10 anos. O tempo é bastante relativo, pois depende de alguns fatores que podem variar de paciente para paciente. Os maus hábitos podem diminuir a durabilidade do tratamento. Por isso, os cuidados com a higienização oral são imprescindíveis, mesmo que as lentes sejam feitas de material muito resistente.

Quais são os cuidados pós procedimento?

A boa higiene bucal e as visitas periódicas ao dentista são essenciais, para manter as lentes em bom estado. As principais recomendações são evitar o hábito de roer as unhas e não usar os dentes da frente para morder alimentos sólidos.

Os pacientes que sofrem de bruxismo (ranger dos dentes) também podem usar as lentes. O ideal é que tratem essa condição com a utilização de um dispositivo de proteção dentária, como a placa de relaxamento, ou a aplicação de toxina botulínica para relaxar a musculatura facial ou, ainda, a fisioterapia orofacial e de pescoço.

Em relação à escovação, é preciso ter alguns cuidados, dentre os quais os mais importantes são a utilização de escovas macias e escovação suave e sem movimentos bruscos, sempre após as refeições.

Como você viu, a lente de contato dentária é uma boa opção para pacientes que desejam alinhar os dentes e harmonizar o sorriso. As lentes de contato dentais corrigem pequenas imperfeições de espaçamento, cor e alinhamento. São indicadas para situações de dentes com restaurações muito extensas e também para casos em que o paciente busca uma transformação total do sorriso.

Conheça o Centro de Cirurgia Oral

A mais de 12 anos, o CCO, localizado em Goiânia – Goiás, é uma clínica odontológica especializada em cirurgia Bucomaxilofacial, Implantodontia e Reabilitação Oral.

Fundada como resultado da parceria entre o Dr. Henrique Taniguchi e Dr. Luís Francisco Coradazzi, a clínica se diferencia dentro do mercado de cirurgias ortodônticas por ser referência em enxertos, reabilitações de implantes dentários e extração de sisos.