O Dente Quebrou? Restauração Já!

“Quebrei meu dente da frente e agora?” O desespero diante da situação é comum, mas há muita gente que deixa para solucionar o problema depois. O quadro, naturalmente, tende a piorar. Dentes quebrados sem restauração podem causar dor, infecção, alteração da mastigação e problemas na mandíbula.

Quando o problema dentário é na área frontal, a autoestima do paciente é diretamente afetada, já que há grande potencial para travar seu sorriso. Mesmo em circunstâncias nas quais a pessoa alega que “lascou levemente”, há o risco de machucar os lábios, e um dentista deve ser rapidamente procurado a fim de encontrar uma solução.

Quer saber mais sobre quebra de dentes e a importância de uma restauração em cada caso? Então, continue a ler o nosso artigo.

Casos comuns de quebra dentária

Embora os dentes sejam estruturas bastante fortes, é possível quebrá-los em situações comuns do dia a dia. Crianças, por exemplo, enquanto estão brincando comumente podem sofrer quedas e acaba provocando uma quebra.

Em se tratando de adultos, esportes de alto impacto e contato, como futebol, basquete e rúgbi, ou acidentes de carro são os casos em que mais ocorre esse problema. Em todos eles é imprescindível tratar rapidamente a fim de não afetar a saúde bucal.

Males de ter um dente quebrado

Quando a quebra é de um dente frontal, como dissemos anteriormente, há grande impacto sobre o bem-estar do indivíduo e, se a questão demorar a ser resolvida, sobre seu modo de falar e de se alimentar.

Se for algum dente atrás, a situação é um pouquinho pior, porque os dentes dessa região são os que sofrem maior impacto da mastigação e são os mais difíceis de escovar, dificultando a limpeza. Assim, viram ótimos espaços para proliferação de cáries, com potencial para infecção dentária e, com o tempo, se tornam mais propensos a cair.

Por isso, é recomendada a revisão semestral. Muitas vezes, os dentes racham ou trincam antes de quebrarem por completo. Somente um dentista pode acompanhar a evolução desses casos menos perceptíveis aos olhos do paciente.

Dúvida: “Quebrei meu dente da frente: o que devo fazer?”

Caso tenha sofrido o trauma, a recomendação é imediatamente buscar um profissional de odontologia para que ele possa fazer o procedimento necessário à recolocação.

Além disso, você pode manter o dente da maneira adequada. Basta que o lave em água morna, sem esfregá-lo para que o atrito não danifique suas células. Depois, coloque-o em um recipiente com uma solução de leite ou soro fisiológico, e transporte-o dessa forma até chegar ao hospital.

Para manter o seu bem-estar durante o momento da dor, outra recomendação de saúde é fazer compressas de gelo e colocar gazes no local, de forma a cessar o sangramento existente.

Em qualquer caso de trauma, lembre-se: toda a agilidade é fundamental para o sucesso do tratamento.

Quebra de dente do siso

Outro caso comum é quando o dente do siso se rompe. Isso pode acontecer em traumas, e o problema também requer ações rápidas para que com o tempo não haja proliferação de bactérias e, consequentemente, cáries.

A infecção, além de causar dor, tem potencial para se generalizar e ocasionar febre e problemas em outras áreas da boca, como a gengiva e os demais dentes.

Se a quebra for detectada ou se sentir qualquer sintoma de forma recorrente após uma batida no local, procure rapidamente o seu dentista a fim de que ele realize um exame de raios X e detecte o que é necessário fazer.

Em muitos casos, o paciente pode necessitar de antibióticos antes que o tratamento se realize. Depois, a depender da localização do dente do siso e do quanto ele afeta a arcada dentária, há a probabilidade de que seja elegível para extração, proporcionando mais bem-estar à pessoa.

Quando o dente quebra de dentro para fora

Já ouviu falar de cárie oculta? Pode acontecer uma inflamação da polpa do dente. A superfície interna — isto é, as paredes que a cercam — começa a ser reabsorvida e se torna cada vez mais fina.

Após a primeira etapa, começa um processo de desgaste de dentro para fora. O dente fica mais fraco para aguentar o impacto da mastigação e, nessas condições, até uma pipoca inocente de acompanhamento da sessão de cinema pode terminar de quebrá-lo.

Quando há muita demora para começar a resolver o problema com um profissional dentista, o quadro pode evoluir para um canal, tratamento mais demorado para caso de lesão na polpa dentária em que há substituição dos tecidos afetados.

Como a restauração pode ajudar

Há duas técnicas básicas de restauração de um dente quebrado: a direta e a indireta. A escolha dependerá muito da quantidade de estrutura perdida.

Na direta, o dentista aplica resina feita de material fotopolimerizável sobre a parte restante do dente, no momento da consulta.

Já na indireta, é feito um molde no dia para realização de uma prótese dental parcial ou total em laboratório. Nesse caso, de maior complexidade, os centros restauradores utilizam cerâmica, resina e dessilicato de lítio.

Quando um dente definitivo é quebrado abaixo da linha óssea, a recomendação é de extraí-lo e, depois, colocar um implante no seu lugar. Essa é a melhor alternativa para evitar acúmulo de bactérias e infecções futuras.

Entretanto, se a quebra tiver ocorrido acima da linha óssea, o dente é desvitalizado e reconstruído, levando uma coroa nova. O tratamento, complexo, pode envolver também canal, a fim de fazer a reprodução anatômica da coroa que tiver sido quebrada.

Ao fim, se o dente quebrado afetar apenas o seu esmalte, ele poderá ser reconstruído com a utilização de compósitos, sob avaliação do dentista responsável.

Se a dúvida “quebrei meu dente da frente e agora?” pode ser atribuída a você pela condição em que se encontra, não se desespere. Com o auxílio de um dentista, é possível fazer a restauração e retomar todo o prazer de dar um sorriso completo.

Quer conhecer mais sobre alternativas de tratamento? Então, leia outro artigo nosso sobre implante dentário frontal!

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747