Implante dental ou Implante Dentário?

Implante Dental é o que existe de mais moderno em reabilitação e reparação de dentes. Quando ocorre a perda do elemento dentário, historicamente, a principal limitação dos trabalhos protéticos sempre foi buscar algo que substituísse e tivesse função de se prender aos maxilares; assim surgiram os implantes dentários, a mais de 60 anos.

Ao longo de décadas pesquisas e mais pesquisas foram realizadas pela ciência, evoluindo os implantes tanto em sua composição (titânio) quanto em seu formato/tamanho.

Poder mastigar sem dentaduras ou próteses removíveis tornou-se um sonho acessível a quase todos os pacientes. O paciente deve passar por uma avaliação clínica das estruturas maxilares e/ou dentárias remanescentes, realizar um levantamento tomográfico da região eleita para o implante dental e um planejamento pré-cirúrgico através de um software 3D (tridimensional).

Tomamos decisões precisas juntamente ao paciente, assim evitando qualquer tipo de contratempo, buscando uma cicatrização mais rápida e tornando todo o processo muito eficiente.

A escolha do implante dentário mais adequado é fundamental para o sucesso do tratamento, pois ele lhe acompanhará por muito tempo. Existem muitos tipos de implante dental podendo variar conforme a necessidade de cada caso.

Trabalhamos com materiais de alta tecnologia e com máxima qualidade em biocompatibilidade, reduzindo o risco de rejeição quase a menos de 1%.

O pino propriamente dito, instalado na região faltante (implante dentário osteo integrado) possui tempo de cicatrização reduzido. Utilizamos materiais de alta confiabilidade e sacramentados pela literatura científica, devidamente inscritos e registrados nos maiores órgãos de regulamentação do mundo.

Como o implante dental funciona

O implante dentário substitui e representa a função que a raiz dental perdida teria. Após sua instalação devemos aguardar um devido tempo de cicatrização ( conhecido como osteo integração) onde a composição química da superfície implantar  (titânio) tende a se “fusionar” com o arcabouço ósseo receptor, ocorrendo uma interação entre células ósseas e o titânio concluindo a expressão máxima da tecnologia e inovação em reposição dental.

Para que isso ocorra da forma mais adequada, cada indivíduo possui uma característica biológica, uma saúde própria e uma capacidade de cicatrização. Porém com os avanços tecnológicos estimamos uma cicatrização de 21 à 180 dias, dependendo da complexidade de cada caso.

RT. CRO-GO-EPAO-425 C.D. Luis Francisco Coradazzi CRO-GO-CD-7747

RECEBA DICAS PARA TER
UM SORRISO SAUDÁVEL